Tamanho do texto

Famílias com renda de até 2,5 salários mínimos são as mais penalizadas pela alta inflacionária, aponta estudo da FGV

A inflação para famílias com renda de até 2,5 salários mínimos, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), foi de 11,42% nos últimos 12 meses. O número foi divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (3). Em janeiro deste ano o índice marcou 1,91%, taxa superior a registrada em dezembro do ano passado (0,97%). 

Centrais sindicais produziram o inflável
Renato S. Cerqueira/Futura Press - 20.10.2015
Centrais sindicais produziram o inflável "Dragão da Inflação" em protesto ao ajuste fiscal

Entre as classes de despesa que tiveram os maiores aumentos de preços estão transportes e alimentação. Os gastos com transportes subiram 4,02% em janeiro, puxados pelo aumento das tarifas dos ônibus urbanos (6,11%). A alimentação teve inflação de 2,63%, principalmente devido à alta de preços de hortaliças e legumes (19,99%).

Também registrou inflação acima da média a classe de despesa educação, leitura e recreação (3,73%). As demais classes tiveram as seguintes taxas: despesas diversas (1,8%), habitação (1,04%), vestuário (0,39%), saúde e cuidados pessoais (0,38%) e comunicação (0,34%).

As taxa medidas pelo IPC-C1 também são superiores às registradas pelo Índice de Preços ao Consumidor Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda. O IPC-BR teve taxas de 1,78% em janeiro e 10,59% em 12 meses.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas