Tamanho do texto

Maior varejista online do mundo, com faturamento de US$ 60 bilhões e 100 mil funcionários, Amazon começou com investimento baixo e vendia só livros; veja outros exemplos

Nem todo empreendedor dispõe de capital ou consegue quantias milionárias de investidores para montar o seu e-commerce. Muitos começam com sites pequenos, gastando pouco. Porém, com um trabalho adequado de divulgação, qualidade de serviços, produtos – e, claro, de atendimento -, conseguem crescer e se destacar no vasto território online, tornando-se lojas de sucesso.

*********************************************************************************************************

É o caso, inclusive, de alguns dos maiores gigantes da web. Aos 30 anos, fascinado pelo crescimento da internet, o americano Jeff Bezos largou seu emprego em Wall Street e fundou uma loja virtual para vender livros, chamada Amazon. Hoje, o site é o maior varejista online do mundo, vendendo produtos de diversas categorias, com receita anual de mais de U$ 60 bilhões e quase 100 mil funcionários. 

Até crianças já obtiveram destaque no e-commerce. A americana Asia Newson abriu um site com a ajuda do pai para vender velas decorativas e fez muito sucesso, ganhando fama em aparições em programas de TV e revistas. O britânico Harli Jordean começou ainda mais cedo: aos 8, vendendo bolinhas de gude.

No Brasil, há exemplos também impressionantes. Criado por quatro amigos universitários, com um investimento de apenas R$ 4.800, o Buscapé se tornou o maior comparador de preços do País, além de plataforma de serviços digitais. Em 2009, os donos venderam 91% do negócio para um conglomerado de mídia sul africano, por um valor pouco modesto: U$ 342 milhões.   

Com a evolução contínua da internet e o aumento da confiança dos consumidores nas compras online, o número de lojas virtuais que crescem e geram um bom lucro para seus donos é cada vez maior. 

Confira na galeria histórias de sucesso do e-commerce em todo o mundo: