Tamanho do texto

Ela pedia a retirada de refrigerante de uva do mercado por identificar limão na nova fórmula do produto

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou indenização a consumidora que se sentiu lesada e ainda a condenou a pagar custas e honorários advocatícios da Coca-Cola. Ela reclamava da fórmula de um refrigerante de uva pelo fato de haver adição de limão na composição da bebida.

Consumidora pediu recolhimento do produto
Reprodução
Consumidora pediu recolhimento do produto

No entanto, para a Justiça, não ocorreu conduta ilícita por parte da empresa.  “O quadro se caracteriza como mero desconforto do cotidiano, o qual não é hábil a ensejar danos morais, afinal, contratempos fazem parte da vida em sociedade, e não são intensos o suficiente para afetar o equilíbrio psicológico da pessoa”, afirma trecho da decisão.

Além de danos morais no valor de R$ 10 mil, a consumidora pedia também a retirada do produto do mercado. Ela alegava que, ao alterar a fórmula usada há décadas, a companhia estaria ludibriando os compradores. 

Nota da redação: O título de uma versão anterior desta reportagem informou incorretamente que a consumidora teria de indenizar a Coca-Cola. A consumidora terá de arcar com as custas processuais e honorários advocatícios da empresa.