Lucro da Energisa (ENGI3) cai 33,5% no 1T22
Ivonete Dainese
Lucro da Energisa (ENGI3) cai 33,5% no 1T22

A Energisa ( ENGI11, ENGI4 e ENGI3) fecha o primeiro trimestre de 2022 com lucro líquido consolidado foi de R$ 580,7 milhões, redução de 33,5% (R$ 292,7 milhões) em relação ao mesmo período do ano anterior.

O lucro líquido também foi afetado pelo efeito negativo de R$ 179,0 milhões referente à Marcação a Mercado de Derivativos, sem efeito caixa, sendo R$ 159,6 milhões referente ao bônus de subscrição atrelado à 7ª emissão da Energis, e R$ 19,4 milhões referente a opção de compra pela companhia da participação de minoritários da Energisa Participações Minoritárias.

O lucro líquido recorrente consolidado de R$ 558,4 milhões e os investimentos cresceram 34,5% atingindo R$ 1,4 bilhão em 1T22.

O EBITDA ajustado consolidado totalizou R$ 1.882,7 milhões no 1T22, acréscimo de 32,2% (R$ 458,1 milhões) sobre 1T21.

Vendas de Energia

Vendas de energia (mercado cativo + TUSD) avançam 2,3% no 1T22, frente ao 1T21, atingindo 9.390,4 GWh, superior a variação da média nacional que foi de 0,9%.

Considerando o consumo não-faturado o crescimento foi de 3,0% (9.395,1 GWh).
Custos operacionais controláveis (PMSO) tiveram aumento de 2,6% (R$ 15,8 milhões) e atingiram R$ 618,3 milhões no trimestre.

O indicador de perdas totais da Companhia registrado no 1T22 foi de 12,67% e segue com trajetória de queda pelo quarto trimestre consecutivo, permanecendo abaixo do limite regulatório (13,19%) com destaque para melhoria das perdas elétricas da ERO em 3,01 pontos percentuais.

Os indicadores de qualidade DEC/FEC das distribuidoras mantiveram excelente desempenho perante os patamares regulatórios. A ERO e a EPB apresentaram os melhores resultados da série histórica tanto para o DEC quanto para o FEC. A EMG e a EAC alcançaram em março de 2022 os seus melhores resultados da série histórica para o FEC.

A dívida líquida consolidada totalizou R$ 17.223,5 milhões em março de 2022, contra R$ 15.252,5 milhões em dezembro de 2021. A relação dívida líquida por EBITDA Ajustado fechou o trimestre em 2,4 vezes.

O Caixa, equivalentes de caixa, aplicações financeiras e créditos setoriais consolidados atingiram R$ 7.460,2 milhões em março de 2022, contra R$ 8.093,4 milhões em dezembro de 2021.

Investimentos consolidados de R$ 1.365,6 milhões no 1T22, aumento de 45,8% (R$ 428,9 milhões) em relação ao mesmo período ano anterior.

Mercado de Capitais

Negociadas na B3, as ações de maior liquidez da Energisa, ENGI11 – Units, (compostas de 1 ação ordinária e 4 ações preferenciais) apresentaram rentabilidade de 15,3% no 1T22 e encerraram o exercício cotadas a R$ 48,81 por Unit. No mesmo período o principal índice da bolsa, o Ibovespa, apresentou retorno de 2,9%, enquanto o IEE teve alta de 5,1%.

Aumento de capital – controladora

Em AGOE de 27 de abril de 2022 foi aprovado o aumento de capital social da Companhia no montante de R$843,5 milhões, em razão do atingimento do limite legal de saldo das reservas de lucros.

O aumento de capital foi realizado mediante a capitalização de parte do saldo da reserva de lucros, sem a emissão de novas ações e não implicará em alteração do valor nominal das ações atualmente existentes, passando o capital social a ser de R$4.207,4 milhões, representando 1.814.642.740 ações nominativas, sendo 756.010.104 ações ordinárias e 1.058.632.636 ações preferenciais, sem valor nominal.

A companhia faz teleconferência hoje às 14h00.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade

O post Lucro da Energisa (ENGI3) cai 33,5% no 1T22 apareceu primeiro em 1 Bilhão Educação Financeira .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários