Análise técnica: compreendendo gráficos e seus tipos
LEANDRO MARTINS
Análise técnica: compreendendo gráficos e seus tipos

Chegou a vez do nosso terceiro artigo sobre como analisar melhor as ações. Em nosso último artigo apresentei a vocês a análise fundamentalista, e agora falaremos dos gráficos.

A Análise Gráfica, também conhecida como Análise Técnica, é uma ferramenta utilizada por investidores profissionais (conhecidos como traders), ou mesmo amadores, para o estudo do mercado de renda variável (como o de ações). A Análise Gráfica pode ser definida como o estudo dos preços e de seus volumes.

O analista técnico baseia-se na premissa que todas as informações estão representadas nos gráficos, na medida em que este traduz o comportamento do mercado (fundamentalistas, insiders, amadores etc) e avaliam, a partir dos gráficos, a participação desses investidores que influenciam na formação dos preços. Eles preferem até mesmo não ter contato com as noticias, pois consideram que elas podem influenciá-lo a atribuir um peso maior a uma informação já refletida graficamente.

Principais conceitos:

  • O preço de mercado representa um consenso, ao qual se dá o equilíbrio entre a oferta e a demanda da ação, e com isso o preço desconta todos os fatores possíveis (fatores macroeconômicos, fundamentalistas, políticos, psicológicos etc.);
  • Os preços formam-se dentro de tendências, ou seja, ocorrem períodos em que os preços oscilam segundo uma tendência de alta, de baixa ou lateral;
  • Certos níveis de preços são “gravados” pelo mercado, como por exemplo topos e fundos, onde exercem forte resistência ou suporte para o avanço dos preços, mas que se rompidos serão geralmente ultrapassados com grande intensidade;
  • A história se repete e com isso, os padrões gráficos são identificáveis. Eles são baseados em padrões comportamentais como: ganância, medo, euforia e pânico, sempre presentes na natureza humana.

O GRÁFICO

O gráfico é elaborado com base no preço do ativo em um dado período, conforme ilustrado abaixo:

alt

Fonte: CMA

Nesse caso foi utilizado o gráfico de linhas com a periodicidade diária, onde a linha é a união dos preços de fechamento de cada dia de negociação. Além do preço de fechamento, também são importantes os preços de abertura, mínimos e máximos, e com isso foi criado o gráfico de barras, que reuni esses quatro preços.

GRÁFICO DE BARRAS

Mais completo que o gráfico de linhas, o gráfico de barras utiliza, além do preço de fechamento, o preço de abertura, além do preço mínimo e máximo do período utilizado.

alt alt

Leia Também

GRÁFICO DE LINHA

alt

Fonte: CMA

GRÁFICO DE BARRAS

alt

Fonte: CMA

CANDLESTICK

Ainda existe outro tipo gráfico mais visual que o gráfico de barras, que também utiliza esses quatro preços, descoberto pelo ocidente apenas recentemente, mas utilizado no Japão, no mercado de negociação de arroz, desde o século XVIII.

A denominação candlesticks se dá porque a figura representativa parece uma vela com seus pavios. As figuras não necessitam ser exatamente iguais, e cada padrão está sujeito à interpretação de cada analista.

GRÁFICO DE VELAS

alt

Fonte: CMA

O estudo do candlestick foi muito divulgado nos últimos anos, e suas figuras são de extrema relevância para antecipar as reversões de preço. Mais adiante, estudaremos os padrões mais importantes. Em nosso próximo artigo eu irei iniciar a lhe mostrar tudo sobre a análise técnica de ações. Te encontro lá!

O post Análise técnica: compreendendo gráficos e seus tipos apareceu primeiro em 1 Bilhão Educação Financeira .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários