Como utilizar ETFs para fazer investimento internacional?
Cauê Mançanares
Como utilizar ETFs para fazer investimento internacional?

Investir no mercado externo pode ajudar a potencializar sua carteira e reduzir os riscos. E você sabia que não é preciso sair do Brasil para aproveitar as oportunidades internacionais? Com o investimento em ETFs, fica fácil se expor aos resultados de empresas de outros países.

Por conta disso, vale a pena entender como o ETF funciona e quais vantagens ele pode oferecer. Assim, você pode escolher e explorar as opções do mercado, caso elas façam sentido para as suas preferências como investidor.

Neste artigo, nós vamos mostrar como utilizar os ETFs para fazer um investimento internacional e ampliar o seu portfólio. Confira!

O que é um ETF e quais são suas principais características?

Para considerar o investimento em ETFs, devemos começar entendendo esse veículo financeiro. Os Exchange Traded Funds, também conhecidos como fundos de índice, são um tipo de fundo de investimento negociado em bolsa.

A gestão dos ETFs tem uma particularidade: ela é passiva . Isso porque o objetivo do fundo é replicar a carteira teórica de um índice de mercado. Então o resultado dele, antes de taxas e impostos, tende a ser equivalente ao do índice de referência. Os ETFs contam com uma gestora autorizada pela CVM e Anbima, que é responsável por investir os recursos, com base na estratégia adotada. Entretanto, ao adquirir uma cota do ETF, o investidor não está buscando um gestor que tente ganhar do mercado, mas sim um fundo eficiente e com baixo custo para seguir aquele índice de mercado desejado.

As cotas desse tipo de fundo são negociadas na bolsa de valores, o que garante maior liquidez. Para comprar o ETF, basta lançar uma ordem de compra utilizando qualquer corretora, como se fosse uma ação, e para se desfazer do investimento, basta vender as cotas nesse mesmo ambiente. Portanto, não é preciso aguardar prazos de aplicação e resgate de fundos fechados, por exemplo.

Quanto à segurança, o ETF é um investimento de renda variável. Desse modo, ele apresenta alguns riscos inerentes a renda variável — especialmente o risco de mercado. Porém, esses fundos têm um risco relativamente menor do que veículos de gestão ativa, que podem ter uma abordagem mais arrojada.

Como usar os ETFs para fazer investimentos internacionais?

Até aqui você entendeu as características gerais do investimento em ETFs. Agora vale a pena saber como esse fundo de investimento pode garantir exposição internacional para a sua carteira. Isso é possível quando o foco do ETF é replicar um índice de mercado internacional.

Muitos veículos negociados na bolsa de valores brasileira, a B3, seguem indicadores de outros países — como os Estados Unidos. Em muitos casos, o ETF internacional funciona como um fundo-espelho. Ou seja, o foco do investimento é a compra de cotas de um ETF internacional que segue o mesmo índice de referência.

Como consequência, o ETF negociado no Brasil obtém exposição direta ao índice de referência. Então, com os ETFs internacionais, você não precisa abrir conta diretamente em outro país para investir nos ativos do exterior.

Os ETFs permitem que você tenha exposição a títulos de renda fixa, ações e outras possibilidades do mercado internacional de forma simples e diversificada. Afinal, ao investir em ETF você já terá acesso a uma carteira de ativos variados.

Quais são as vantagens de investir em ETFs?

Além de conhecer as características principais dos ETFs, é interessante saber quais podem ser as vantagens e diferenciais desse investimento. Assim, você entenderá se faz sentido incluí-lo em seu portfólio, com base em seu perfil de investidor e objetivos.

A seguir, conheça alguns dos maiores benefícios do investimento em ETFs!

Acessibilidade

O investimento em ETFs é conhecido por ser acessível. Um dos motivos é o aporte ser descomplicado, já que basta emitir uma ordem de compra na bolsa de valores. Além disso, o montante exigido também é acessível, com opções disponíveis hoje que variam de R$10 por cota até R$100 ou R$200 por cota.

Leia Também

Geralmente, o investimento mínimo exigido é de uma cota. Assim, é possível ter exposição a um portfólio completo, investindo valores pequenos.

Quando se trata do investimento internacional, os ETFs se destacam ainda mais pela acessibilidade. Afinal, fazer operações na B3 é muito mais simples do que abrir uma conta internacional e precisar fazer o câmbio entre dólar e real para investir.

Leia Também

Custo

Os ETFs se destacam em relação aos custos pois as taxas de adminsitração são relativamente baixas, sendo cobrado na média 0,5%, enquanto fundos de gestão ativa cobram 2% de taxa de administração. Ainda, os ETFs não cobram taxa de performance, ou seja, o investidor evita pagar s 20% sobre o lucro que é normalmente cobrado em fundos de gestão ativa, aumentando ainda mais o benefício de se comprar ETF.

Por não precisar enviar dinheiro ao exterior, o investidor economiza 1,48% de IOF (considerando o envio para investir e a repatriação do dinheiro no saque) e evita pagar spreads cambiais de corretoras de câmbio que saem na faixa de 1,5% a 2% por remessa, sendo cobrado spread cambial no envio do dinheiro e outro spread cambial na repatriação do dinheiro, o que representa uma economia de 3 a 4%.

Além desses custos, o investidor que investe diretamente no exterior deve se atentar aos impostos estrangeiros. No caso de investimentos diretos por pessoa física nos EUA, por exemplo, o governo americano cobra um imposto sobre herança de 40% sobre o patrimônio total. Quando investimos diretamente no Brasil, os impostos sobre herança são bem mais modestos (na casa dos 4% a 5%). Por fim, para investir no exterior é necessário se atentar às complexidades de declaração de imposto de renda, que podem custar caro caso o investidor necessite contratar um contador estrangeiro para declaração de impostos.

Praticidade de investimento

Outro ponto importante é a praticidade de investir em ETF. Por ser um fundo de investimento, a gestora realiza todas as operações de compra e venda de ativos. Assim, você não precisa analisar e fazer cada um dos aportes ou rebalancear a carteira.

Exposição a diversos setores

Mais uma vantagem de usar os ETFs para investimento internacional é conseguir se expor a diferentes segmentos da economia. Como existe uma variedade de fundos disponíveis, você pode escolher aqueles que mais se adéquam à sua estratégia.

Além disso, os chamados ETFs temáticos permitem concentrar investimentos em determinado setor. Esses veículos focam em segmentos específicos do mercado, como nichos em desenvolvimento e temas com potencial de valorização. É o caso de um ETF ligado ao setor de tecnologia como o USTK11, por exemplo.

Dependendo do caso, também é possível participar de mercados exóticos e que apresentam maior potencial de retorno. Dessa forma, você pode aproveitar as possibilidades de segmentos que ainda não estão disponíveis em outros investimentos no Brasil, por exemplo.

Diversificação do portfólio

Como você pode perceber, o ETF permite que você se exponha a um portfólio completo. Então esse é um investimento eficiente para diversificar sua carteira . Dessa forma, há como diluir os riscos e existe a chance de aumentar sua expectativa de retorno.

Com os ETFs internacionais, é possível potencializar sua diversificação. Afinal, você expõe parte do seu patrimônio a condições do exterior, reduzindo o risco Brasil. Assim, é possível evitar a concentração apenas no mercado nacional, o que favorece ainda mais o aumento da expectativa de retorno e a redução de riscos dos investimentos.

Dolarização de parte da carteira

Investir em ETFs internacionais, especialmente norte-americanos, também traz como benefício a dolarização de parte da carteira . Devido à exposição cambial, uma variação positiva do dólar pode se refletir em seus ativos e trazer resultados financeiros.

Com isso, você consegue se proteger da desvalorização do real frente ao dólar. Em um período de desvalorização da nossa moeda ou de queda da bolsa brasileira, por exemplo, o investimento em um ETF internacional pode equilibrar seu portfólio.

Com as informações deste artigo, você aprendeu que o investimento em ETF pode ajudá-lo a se expor a ativos do exterior. Então, se o fundo fizer sentido para o seu perfil e para os seus objetivos, é possível aproveitar as vantagens que ele tem a oferecer!

Estes conhecimentos foram úteis? Para aproveitar o potencial dos fundos de índice, confira os ETFs da Investo !

O post Como utilizar ETFs para fazer investimento internacional? apareceu primeiro em 1 Bilhão Educação Financeira .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários