Nesta época do ano, tanto com a Black Friday como pelas festas de Natal e Ano-Novo, manter o equilíbrio entre ganhos e gastos é fundamental. Em um cenário como o atual, com os juros de mercado acompanhando a elevação da Selic e a majoração do IOF encarecendo os planos de crédito, a opção de empréstimo tem de ser vista com muito cuidado.

Desta forma, aqueles que pensam em contratar um financiamento, seja para sanar débitos ou viabilizar novas aquisições de produtos ou serviços, devem fazê-lo de maneira sustentável. Assim, estando atentos a alguns aspectos. As fintechs, por exemplo, têm oferecido melhores condições de crédito do que os bancos mais tradicionais.

Portanto, confira as dicas de Carolina Rezemini, diretora Regional de Vendas para a América Latina da Credolab, startup que atua com análise inteligente de dados no desenvolvimento de scores, para a tomada consciente de crédito.

Leia Também

Comparar as ofertas de crédito

Seja qual for a modalidade de empréstimo, desde o pessoal até o financiamento imobiliário, é necessário analisar em detalhes os termos de cada plano. A pessoa nunca deve fazer a contratação por impulso. Além disso, ela precisa considerar aspectos como prazo de quitação e valor das parcelas mensais.

Ao comparar as alternativas, é recomendado observar também tarifas que muitas vezes são negligenciadas pelos consumidores, como taxas de abertura, seguros e impostos. O melhor fator de comparação é o Custo Efetivo Total (CET) do financiamento, que inclui todos os encargos cobrados e mostra o seu custo real.

Leia Também

Negociar condições e ficar de olho nas fintechs

Com o advento do open banking e o acirramento na disputa por clientes, as instituições financeiras tendem a estar mais abertas para negociar os termos do contrato, o que é um ponto a favor de quem busca um empréstimo.

As fintechs costumam ter processos mais simples, rápidos e baratos que os bancos tradicionais. Afinal, são empresas que se valem de meios mais modernos de operação. Por isso, em geral, seu custo fixo é mais baixo, o que permite que ofereçam condições melhores e mais acessíveis aos consumidores.

Saiba mais em 1Bilhão , parceiro do iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários