O Banco Inter ( BIDI3, BIDI4 e BIDI11 ) informou ao mercado na última quinta-feira (7) que faria uma reorganização societária. De acordo com o banco digital, essa reorganização demanda pela saída de todas as suas ações da Bolsa de Valores brasileira ( B3 ), seguida pela listagem no índice Nasdaq dos Estados Unidos.

No entanto, para os brasileiros, a instituição financeira disponibilizará BDRs (Brazilian Depositary Receipts – certificados que representam ações de empresas negociadas no exterior).

Mesmo assim, algumas pessoas estão confusas com a notícia e se perguntam os motivos da retirada, assim como qual o futuro dos investidores desse novo cenário.

Portanto, entenda o que acontecerá com os investidores do Banco Inter e os motivos da reorganização:

Leia Também

Razões e contexto

Para entender os possíveis motivos da decisão do Inter é necessário olhar para todo o contexto que o trouxe até aqui. As ações do banco digital tiveram uma queda forte no mês passado, caracterizando seus ativos como os que mais caíram na B3 em setembro.

Essa baixa drástica pode ter sido causada por uma junção de razões. Entre elas, o cenário externo cauteloso, o interno bagunçado, além do boato de que talvez o Banco Inter fosse ter um provisionamento (previsões de perda) muito grande.

Junto com tudo isso, a junção do Banco Inter com a empresa de maquininhas Stone (STOC31). Depois desse movimento, o mercado se questionou muito. Afinal, devido ao Pix e as facilidades de pagamentos, muitas empresas de cartão de crédito estão em declínio.

O que acontece com os acionistas?

Basicamente, com a saída do Banco Inter da B3 e a sua entrada na Bolsa de Tecnologia Americana (Índice Nasdaq), as ações daqueles que investiam no banco digital serão substituídas por BDRs.

Saiba mais em 1Bilhão , parceiro do iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários