Startup criada durante a pandemia faz sucesso com kit de escritório personalizado
Fernanda Capelli
Startup criada durante a pandemia faz sucesso com kit de escritório personalizado

A pandemia causada pelo novo coronavírus (Covid-19) não foi fácil para ninguém. Afinal, devido à crise instalada em todos os quatro cantos do mundo, diversas empresas pereceram e viram seus negócios , abertos a anos, desmoronarem.

Mesmo assim, nesses quase dois anos de adaptação, houve também muita inovação e resiliência por parte do mercado. Além disso, o instinto de sobrevivência de algumas startups e setores irá entrar para história.

Isso foi o que aconteceu com a Le linsk , marca de produtos personalizados e feitos à mão exclusivamente para cada cliente, que viu seus lucros aumentarem significativamente após começar a vender kits de escritório personalizados e completos.

Leia Também

Case de sucesso

A startup nasceu de uma sociedade entre irmãs, Dayana Ramos, administradora de empresas e especialista em marketing digital, e Michella Ramos, profissional de designer, que optaram pelo modelo e-commerce pois as duas moravam em cidades diferentes. Enquanto uma desenvolvia os produtos, a outra criava toda a estrutura e imagem visual da marca.

“No começo da pandemia, eu vi meus filhos precisando de um espaço agradável para estudar dentro de casa e percebi que seria por um longo período. Ao mesmo tempo, Dayana tinha a ideia de criar um e-commerce. Portanto, unimos as ideias e criamos a Le linsk”, disse Michella Ramos, designer e sócia-fundadora do negócio.

No entanto, atualmente, os kits são personalizados de acordo com o gosto de cada cliente. A ideia deu muito certo, principalmente com a ascensão dos trabalhos home office. Em suma, as duas viram sua startup crescer 350% em 1 ano, com aporte de R$ 40 mil.

Leia Também

“Todos os nossos produtos são feitos à mão e personalizados exclusivamente para cada pessoa. O atendimento é humanizado, e o cliente escolhe todos os detalhes. Além disso, é um processo artesanal, com produtos sofisticados. Um ponto muito importante é que não utilizamos materiais de origem animal, mas sim um sintético de alta qualidade”, afirma Dayana Ramos, administradora e sócia-fundadora de Le Linsk.

Saiba mais em 1Bilhão , parceiro do iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários