Bitcoin (BTC): descubra a história da criptomoeda mais famosa do mundo e como funciona
Fernanda Capelli
Bitcoin (BTC): descubra a história da criptomoeda mais famosa do mundo e como funciona

Atualmente, o Bitcoin (BTC) é a criptomoeda mais famosa do mundo. O ativo foi criado em 2008, com o objetivo de ser uma solução para a crise financeira enfrentada em países da Europa e nos Estados Unidos.

Dessa forma, o mundo viu várias pessoas enriquecendo com a alavancagem da primeira moeda digital, que chegou a valer milhares de dólares. Até hoje, o Bitcoin e outras criptomoedas são investimentos que passam por altos e baixos, mas que todo mundo fica de olho.

Mesmo assim, ainda há quem não entenda como esse tipo de tecnologia surgiu, muito menos como a sua criação revolucionou as transações financeiras e a economia da nossa era.

Portanto, veja tudo o que você precisa saber sobre Bitcoin, antes de investir no ativo:

Contexto histórico

O Bitcoin é considerado um marco na história da humanidade, assim como na transformação da nossa cultura. Isso porque, com a ascensão do digital, pensar em um dinheiro virtual não era algo inconcebível. No entanto, o maior problema desse aspecto era criar um tipo de moeda que fosse segura a respeito de cópias ou fraudes.

Vale ressaltar que nesse mesmo cenário, no ano de 2008, alguns países desenvolvidos passaram por uma crise financeira que acabou levando a inflação às alturas, chegando a ser a maior crise desde o início da década de 1990.

Essa situação vinha da quebra de diversos bancos, que encontraram problemas na validação de transações financeiras pela internet, não conseguindo precaver gastos duplos, além de empréstimos imobiliários insustentáveis.

Revolução

Foi nesse cenário que um pseudônimo chamado de Satoshi Nakamoto, que até hoje ninguém sabe quem é, escreveu o artigo Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System (Bitcoin: Um Sistema de Dinheiro Eletrônico Entre Pares).

Esse texto descrevia como transações financeiras na internet ainda se baseavam em instituições financeiras que serviam de intermediários para fazer a validação da compra, que eram extremamente sujeitas a fraude.

Saiba mais sobre o Bitcoin na matéria completa em 1Bilhão , parceiro do iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários