Qual a diferença entre Títulos Imobiliários e Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs)?
Sophia Bernardes
Qual a diferença entre Títulos Imobiliários e Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs)?

Para manter uma carteira de sucesso, como investidor, é fundamental fazer uma boa diversificação. Assim como, saber como investir tanto em Títulos Imobiliários como Fundos Imobiliários.

Logo, para compreender cada um deles e identificar a melhor opção para o seu perfil como investidor , é preciso estudar. Afinal, essas aplicações são uma boa opção para os investidores que desejam se expor no mercado imobiliário.

Desta forma, os Títulos Imobiliários são uma alternativa para investidores que desejam aplicar em renda fixa no setor. Em contrapartida, a opção de Fundos de Investimentos (FIIs) se encaixa com um perfil mais arrojado, tendo em vista a oscilação e volatilidade do mercado.

O que são Títulos Imobiliários?

Em resumo, os Títulos Imobiliários são aplicações de renda fixa. Logo, são emitidos através de agências financeiras ou de forma terceirizada. Assim, viabilizam as instituições a adquirirem crédito para empreendimentos ou financiarem projetos de empresas do setor.

Leia Também

Dentre as opções de investimentos em Títulos Imobiliários, existe a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI). Os dois possuem isenção de imposto de renda.

Letra de Crédito Imobiliário

Desse modo, a LCI é uma renda fixa realizada por bancos, destinados ao financiamento de projetos de empresas do setor. Assim, ao comprar este título, o investidor estaria emprestando dinheiro ao banco.

Em seguida, a instituição financeira repassa os investimentos para as empresas. No entanto, eles não são tributados do Imposto de Renda, algo que atrai os investidores em relação aos outros títulos.

Certificado de Recebíveis Imobiliários

Os CRI são títulos com ênfase em créditos imobiliários como, por exemplo, as parcelas de financiamentos. Na compra do Certificado de Recebíveis, o investidor adquire, na verdade, um fluxo de pagamento futuro.

Saiba mais em 1Bilhão , parceiro do iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários