Presidente da Oi (OIBR3) prevê receita de R$ 15 bilhões nos próximos dois ou três anos
Sophia Bernardes
Presidente da Oi (OIBR3) prevê receita de R$ 15 bilhões nos próximos dois ou três anos

Em evento realizado pela XP nesta quarta-feira (8), o diretor-presidente da companhia, Rodrigo Abreu, afirmou que a Oi (OIBR3) deve produzir uma receita de R$ 15 bilhões no prazo de dois a três anos.

No entanto, Abreu não levou em conta a parcela de infraestrutura da V.tal (antiga InfraCo) que Oi ainda possui. A empresa secundária contém a parte de fibra óptica da operadora.

Em meados deste ano, 57% do capital da InfraCo foi vendido em oferta para o BTG Pactual (BPAC11) e a Globonet Cabos Submarinos. O valor da transação foi de R$ 12,93 bilhões.

Próximos passos da Nova Oi

Desse modo, a projeção do presidente é que a operadora conclua a venda da oferta móvel no período entre janeiro e março de 2022. Assim como, o domínio de unidade de infraestrutura.

A atenção dos negócios da Oi, de agora em diante, será nos serviços, no atendimento e nos clientes, de acordo com Abreu. Posto que, houve o encerramento da operação móvel e a divisão de estrutura da unidade.

A propósito, a companhia se encontra em um momento de mudança estrutural, entrando em uma nova fase após o fechamento de operação móvel e encerramento do controle.

Você viu?

Além disso, nos últimos nove anos, a companhia ampliou seu mercado de banda larga. Logo, Rodrigo Abreu, prevê potencial de crescimento e valorização da fibra no Brasil.

Portanto, a intenção da empresa é migrar para a fibra óptica e deixar toda a telefonia de cobre. Ainda de acordo com o diretor-presidente da companhia, a Oi não é apenas a sobra de processos de desinvestimentos, mas sim, uma empresa de potencial com a participação na V.tal.

Para saber todos os detalhes, leia a matéria completa em 1Bilhão , parceiro do iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários