Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Morre Steve Jobs, fundador da Apple

Executivo tinha 56 anos e sofria de câncer; empresário fundou a Apple em 1976 e deixou a empresa entre 1985 e 1996

iG São Paulo |

Morreu nesta quarta-feira, 5 de outubro, aos 56 anos, Steve Jobs, fundador e ex-presidente da Apple . O executivo sofria de câncer e estava de licença médica desde o início de fevereiro e, no fim de agosto, havia se afastado do comando da Apple. Segundo a família, ele teve uma morte tranquila . Com uma biografia repleta de dramas pessoais , tendo sido rejeitado duas vezes ao nascer e frequentado cultos religiosos em troca de um prato de comida, Jobs deu lições de superação em diferentes fases de sua vida. Além de comandar a Apple, que popularizou os computadores pessoais e salvou a indústria da música com o iPod, Steve Jobs também foi um dos criadores do estúdio de animação Pixar .

Leia: tudo sobre a morte de Steve Jobs

Veja: homenagens dos fãs pela morte de Steve Jobs em todo o mundo

Assista: Vídeo mostra a primeira vez de Steve Jobs na TV

O executivo era casado com Laurenne Powell, que conheceu ainda na faculdade, há 30 anos. Ele deixa três filhos do casamento com Laurenne, além de uma filha de um relacionamento anterior.

Sua morte tem sido motivo de comoção ao redor do mundo. O presidente dos EUA, Barack Obama, desejou que ele descanse em paz e afirmou: " Obrigado pelo trabalho que você faz possível todos os dias - inclusive o nosso ". Amigos e rivais também lamentaram a morte do fundador da Apple. Bill Gates, da Microsoft, afirmou : "Steve e eu nos conhecemos há quase 30 anos, e nos tornamos colegas, competidores e amigos ao longo de mais da metade de nossas vidas. O mundo raramente vê alguém com o profundo impacto que Steve teve. Os efeitos de suas criações serão sentidos por muitas gerações no futuro". Mark Zuckerberg, inventor do Facebook, foi bem emocional : “Obrigado por mostrar ao mundo que o que você criou poderia mudar o mundo. Sentirei sua falta" . Larry Page, cofundador do Google, foi na mesma linha: "Estou muito, muito triste em saber do falecimento de Steve. Ele foi um grande homem, com conquistas incríveis e brilhantismo fora do comum".

Nas redes sociais, a morte de Steve Jobs é comentada por admiradores da Apple. O assunto é o mais comentado no Twitter no momento, com a tag "rip steve jobs" (descanse em paz, steve jobs, na tradução do inglês). O volume de mensagens na rede social foi tão grande que o Twitter chegou a ficar fora do ar por alguns minutos.

Jobs e a fundação da Apple

Steven Paul Jobs nasceu em 24 de fevereiro de 1955, em San Francisco, Califórnia (EUA). No início dos anos 1970, ele conheceu Steve Wozniak, com quem fundou a Apple em 1976.

 A Apple ficou conhecida por popularizar o conceito do computador pessoal . O primeiro produto da empresa foi o Apple I, lançado em 1976. O computador vinha desmontado e o usuário recebia um manual para montá-lo.

Em 1983 a Apple lançou o Lisa, o primeiro computador pessoal com suporte a mouse. O Lisa foi um fracasso de vendas, principalmente devido ao alto preço (cerca de US$ 10 mil nos dias de hoje). Mas, no ano seguinte, a empresa obteve um grande sucesso com o lançamento do Macintosh, o primeiro computador pessoal com interface gráfica e preço acessível.

Em 1985, devido a problemas com outros executivos da empresa, Steve Jobs deixou a Apple. No mesmo ano, ele fundou a NeXT, empresa que produzia computadores de alto desempenho. Em 1986, Jobs comprou a Graphics Group, uma divisão da Lucasfilm que seria rebatizada de Pixar. O estúdio de animação tem em seu portifólio filmes como "Toy Story", "Procurando Nemo" e "Os Incríveis".

Retorno à Apple

No fim de 1996, a Apple comprou a NeXT. Com isso, Steve Jobs voltou à empresa que havia criado como conselheiro. Na época, a Apple era uma empresa em dificuldades financeiras, com uma pequena fatia do mercado de computadores, dominado pela Microsoft. Em 1997, Jobs foi nomeado CEO da empresa e começou uma reformulação profunda.

Uma das primeiras medidas foi estabelecer uma parceria com a Microsoft, sua principal concorrente. O acordo desagradou muitos fãs da Apple, mas o investimento da Microsoft na empresa ajudou a Apple a melhorar sua situação financeira.

iPod mudou indústria da música

No início dos anos 2000, Jobs comandou a ascensão da Apple com uma série de produtos de grande sucesso. Em 2001 a empresa lançou o iPod, um tocador de música em formato MP3.

Já havia produtos semelhantes na época, mas o iPod rapidamente se tornou o líder de mercado devido principalmente à facilidade de uso e ao design elegante. Em 2003, com o lançamento da iTunes Store, a Apple também consolidou sua posição no mercado de venda de música online.

Câncer surgiu em 2004

Em 2004, Jobs revelou aos funcionários da Apple que havia passado por uma cirurgia para a remoção de um câncer no pâncreas. Desde então as especulações sobre a saúde do executivo foram constantes. Um dos motivos para os rumores foi a transformação física de Jobs, que em pouco tempo ficou bem mais magro e com menos cabelos.

iPhone e iPad

Apesar dos problemas de saúde, Jobs continou no comando da Apple e comandou a criação de dois

produtos de grande sucesso nos anos seguintes. Em 2007, a Apple entrou no mercado de celulares com o iPhone. O aparelho revolucionou o conceito de celulares inteligentes com sua tela multitoque e transformou o modelo de negócios do mercado com sua loja de aplicativos. Ainda hoje os smartphones mais poderosos, incluindo os modelos dos concorrentes, usam os mesmos princípios de design do primeiro iPhone.

Em 2010, Jobs apresentou seu último sucesso, o iPad. Inicialmente desprezado por ser apenas um "iPhone gigante", o aparelho foi um sucesso de vendas e criou uma nova categoria de produtos, os tablets.

No início deste ano, Jobs pediu licença médica, fato que aumentou os rumores sobre sua saúde. Sua última aparição pública foi na apresentação do iPad 2, em março deste ano.

Leia também:

Steve Jobs e Bill Gates: amigos e rivais

Obama lamenta morte de Steve Jobs

Vídeo mostra momentos importantes na carreira do fundador da Apple

Bill Gates e Mark Zuckerberg lamentam morte de Jobs

Leia tudo sobre: AppleSteve Jobsmortememória

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG