Lucro do Itaú cai 13,4% no terceiro trimestre e alcança R$3,412 bilhões

Instituição financeira terminou setembro com R$960,216 bilhões em ativos totais, alta de 14,7% em um ano

Reuters |

Reuters

O Itaú Unibanco divulgou nesta terça-feira lucro recorrente de R$3,412 bilhões no terceiro trimestre, queda de 13,4% contra igual etapa de 2011 e de quase 5% quando comparado ao segundo trimestre deste ano.

O resultado ficou abaixo da previsão média de analistas de ganho nessa base de R$3,480 bilhões para o Itaú entre julho e setembro, segundo pesquisa Reuters.

O lucro contábil trimestral foi de R$3,372 bilhões, redução de 11,4% na comparação anual e alta de 2,1% na trimestral.

A carteira de crédito do maior banco privado do país estava em R$417,603 bilhões no fim de setembro, avanço de 9,3% em 12 meses e de apenas 1% no trimestre. Os destaques positivos foram os empréstimos a grandes empresas e para o financiamento de imóveis, enquanto a carteira de veículos teve retração na base anual.

A inadimplência para débitos com atraso acima de 90 dias ficou em 5,1% em setembro, acima dos 4,7% um ano antes e queda de 0,1 ponto percentual na comparação com junho de 2012.

As provisões para maus pagadores somaram R$5,939 bilhões de julho a setembro, alta de quase 20% sobre um ano antes e ligeira queda de 0,8% sobre o segundo trimestre deste ano.

"Esse nível de provisionamento é atribuído, principalmente, à alta inadimplência verificada nas carteiras de veículos e ao aumento de volume das carteiras de crédito pessoal", informou o banco.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio anualizado, importante indicador da rentabilidade de bancos, foi de 17,5% no terceiro trimestre quando considerado o resultado líquido. O índice, com base no resultado recorrente, foi de 17,7%.

O Itaú terminou setembro com R$960,216 bilhões em ativos totais, alta de 14,7% em um ano.

O Itaú também anunciou nesta manhã a venda de 16,14% da participação que tinha na empresa de informações de crédito Serasa para o grupo britânico Experian por R$1,7 bilhão em dinheiro.

O banco espera um impacto positivo antes de impostos em seu resultado do quarto trimestre de R$1,5 bilhão, segundo fato relevante.

Leia tudo sobre: NEGOCIOSBANCOSITAURESULTSATUALIZA

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG