Veja como fica a nova tabela do IR 2015

Por Maíra Teixeira - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Reajuste de 4,5% prejudica contribuinte e eleva defasagem da tabela para mais de 64%, segundo cálculo do Sindifisco

Com o veto da presidente Dilma Rousseff à correção de 6,5% na tabela do Imposto de Renda Pessoa Físicas anunciado na segunda-feira (19), volta a discussão sobre a defasagem na tabela acumulada desde 1996, que chegaria a 64,28%, segundo estudo do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional).

Com a decisão presidencial, a tabela será corrigida em 4,5%, o que causa perdas ao contribuinte porque a inflação em 2014 ficou em 6,41%. Para o Sindifisco, ao decidir vetar a correção de 6,5% à tabela de Imposto de Renda, o governo optou por dar continuidade à arrecadação com menor esforço, colocando mais contribuintes para pagar impostos. 

Leia mais: Câmara aprova reajuste de 6,5% na tabela do Imposto de Renda

Entenda como deduzir gastos com plano de saúde do IR

Desde 2007, uma medida provisória reajusta a tabela do IR pelo centro da meta de inflação (4,5%), mas o índice tem superado esse percentual, ficando próximo a 6%, em média. 

Na análise do Sindifisco, caso a presidente Dilma Rousseff tivesse sancionado a correção de 6,5%, os trabalhadores com ganhos até R$ 1.903,38 ficariam isentos do pagamento do Imposto de Renda. Atualmente, quem tem rendimento acima de R$ 1.787 já é contribuinte. Hoje, a defasagem real da tabela é de 64,28%, percentual registrado até dezembro de 2014. Se esse índice fosse aplicado, o limite de isenção subiria para R$ 2. 935. 

Veja como fica a tabela do IR 2015

A pedido do iG, Sebastião Luiz Gonçalves, vice-presidente do Conselho Consultivo do Sindicato dos Contabilistas de São Paulo, fez uma simulação do cálculo de como fica a tabela do IR para Pessoa Física, com o reajuste de 4,5%.

Trabalhador que recebe até R$ 1.868,22 – isento

Salário de R$ 1.868,22 até R$ 2.799,86 –  cobrança de alíquota de 7,5%, com parcela a deduzir de R$ 140,11

R$ 2.799,86 até R$ 3.733,19 – alíquota de 15%, com parcela a deduzir de R$ 350,11

Salário de R$ 3.733,19 até R$ 4.664,68 – alíquota 22,5%, com parcela a deduzir de R$ 630,09

Salário acima de R$ 4.664,68 – alíquota 27,5%, com parcela a deduzir de R$ 863,33

Veja como pagar menos impostos de renda:

REFORMA DA CASA: se for vender o imóvel, a reforma permite pagar menos imposto com o ganho de capital (lucro) obtido. Foto: Thinkstock/Getty ImagesGASTO COM DOMÉSTICO: o INSS pago pelo patrão ao empregado doméstico pode ser abatido no limite de R$ 1.078. Foto: Futura PressPENSÃO ALIMENTÍCIA: as despesas com o alimentando permitem desconto integral no Imposto de Renda. Foto: SXCIMPLANTE DENTÁRIO: este tipo de prótese permite deduzir o Imposto de Renda. Foto: universo jatobáGASTO COM SAÚDE NO EXTERIOR: consultas ou internações médicas em outro país também permitem pagar menos Imposto de Renda. Foto: Thinkstock/Getty ImagesALUGUEL: os gastos que o locador tiver com corretagem e administração podem ser abatidos do Imposto de Renda. Foto: Thinkstock/Getty ImagesPRÓTESES: compra do item pode ser descontada do IR devido pelo contribuinte. Foto: Patrizia Tocci/Science Translational Medicine/Associated PressPLANO DE SAÚDE: despesas com este tipo de seguro também são dedutíveis. Foto: Getty ImagesPLANO DE PREVIDÊNCIA: é possível abater até 12% com o modelo PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre). Foto: Thinkstock/Getty ImagesCADEIRA DE RODAS: junto das próteses, este é um dos itens dedutíveis do imposto. Foto: Divulgação / VemexCURSO UNIVERSITÁRIO: gastos com graduação ou pós-graduação permitem abatimento no limite de R$ R$ 3.230,46 em 2014. Foto: NYTCIRURGIA PLÁSTICA COM FIM DE SAÚDE: se o objetivo da intervenção não for estético, é possível abater a despesa na declaração. Foto: ThinkstockDENTISTA: tratamentos dentários como canal ou extração do dente estão na lista. Foto: Thinkstock/Getty ImagesFISIOTERAPIA: gastos com tratamento de reabilitação com terapeutas permitem abater o IR. Foto: Thinkstock/Getty ImagesPSICÓLOGO: tratamento psicológico ou psiquiátrico entram na lista das despesas médicas que abatem o imposto. Foto: Danilo Chamas / Fotomontagem iG sobre SXC/Flickr CCCONSULTAS E EXAMES: visitar o médico e fazer um check up de rotina permitem abater as despesas do IR. Foto: Thinkstock/Getty ImagesESCOLA: as despesas com matrícula e mensalidade são dedutíveis até R$ 3.230,46 . Foto: Fotoarena



Leia tudo sobre: IR 2015tabela IRPFimpostodedução

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas