Publicidade
Publicidade - Super banner
Empresas
enhanced by Google
 

Jovens vencem desafio e criam empresas milionárias

Comparar preços em supermercados foi uma das ideias vencedoras de concurso; Buscapé comprou 30% dos projetos por R$ 300 mil

Marina Gazzoni, iG São Paulo |

Em vez procurar emprego ou prestar concurso público, quatro amigos recém-formados em Engenharia da Computação na Unicamp passaram os últimos nove meses dentro de casa, dedicados à programação do site Meu Carrinho. Luciano Frezzatto, Bruno Branta, André Nazareth e Danilo Campos estavam decididos a lançar uma empresa de internet e apostaram em uma plataforma de comparação de preços de produtos de supermercado. Nem um ano depois, o projeto foi avaliado em R$ 1 milhão e ganhou como sócio o Buscapé.

Greg Salibian/iG
Da esquerda para direita: André Nazareth, Danilo Campos, Luciano Frezzatto e Bruno Banta, fundadores do site Meu Carrinho
O site Meu Carrinho foi um dos quatro vencedores do desafio “Sua ideia vale R$ 1 milhão”, lançado pelo Buscapé em fevereiro deste ano. Cerca de 2.500 empreendedores participaram do concurso com 800 projetos inscritos. O grupo investiu R$ 300 mil para desenvolver cada projeto, em troca de 30% das ações das quatro novas “start-ups” brasileiras.

Outros vencedores são os brasilienses Marcos Roberto e André Teixeira, de 27 anos, fundadores do site Urbanizo. Amigos de longa data, eles entraram na área de internet com 16 anos, fazendo sites para reunir fotos de baladas. “Éramos menores de idade e queríamos entrar nas festas”, diz Roberto. Mas os projetos evoluíram depois que eles estudaram Ciências da Computação na Universidade de Brasília (UNB). Há um ano e meio eles desenvolvem o Urbanizo, que faz uma varredura nos anúncios de imóveis na internet e calcula o preço médio do metro quadrado por região.

Jovens empreendedores

As ideias são diferentes, mas as histórias se repetem. Os protagonistas são jovens que sonham em empreender na internet e, quem sabe, repetir os feitos de Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, ou do próprio Buscapé. Criado por universitários em 1999, o site deu origem a um dos maiores grupos de internet brasileiros.

O Buscapé nasceu como um site de comparação de preços do varejo online, mas já se transformou em uma holding com 19 empresas. Ao todo, 13 delas foram incorporadas ao grupo via aquisição, já considerando as quatro novatas. Os fundadores das companhias, em geral, mantêm uma participação acionária no projeto. Estima-se que cerca de 10% dos funcionários sejam acionistas do grupo.

Greg Salibian/iG
Romero Rodrigues, presidente do Buscapé
“Não queremos apenas comprar empresas. O maior ativo são as pessoas. Queremos trazer os empreendedores para trabalhar com o Buscapé”, diz Romero Rodrigues, presidente do grupo.

Os mineiros Mateus Nascimento, 29, e João Pedro Resende, 28, agora vão fazer parte deste time. Eles deixaram seus empregos em março para investir no site HotMart, de venda de conteúdo online. “Se você não faz isso, fica a vida inteira lamentando não ter aproveitado uma oportunidade que podia dar certo”, diz Nascimento.

Sinergias com o grupo

O Buscapé vai repetir o desafio no ano que vem. O processo de seleção leva em consideração a integração do projeto com o grupo. Um dos vencedores deste ano, o Anuncie Já, traz ferramentas de e-commerce para pessoas físicas em redes sociais e tem potencial de integração, por exemplo, com o Que Barato!, site de classificados online do grupo.

As empresas agora fazem parte do grupo Buscapé e todos os projetos devem ser aprimorados. “Tenho certeza que os empreendedores querem muitos milhões a mais”, diz o presidente do Buscapé.

Leia tudo sobre: Buscapéinternetempreendedorismo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG