Nome Bob Marley vai virar marca global de maconha

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Família do cantor liberou uso do nome para fundo colocar em embalagens de maconha e derivados da erva que serão vendidos em estados dos EUA que legalizam o uso da droga

Reuters

Reprodução
Marley Natural será usado pela primeira vez em embalagens de produtos de maconha

A família do ícone reggae Bob Marley e uma empresa de fundos de participação sediada em Seattle, nos Estados Unidos, informaram nesta terça-feira (18) que estão lançando a primeira marca global de maconha com produtos vendidos com o nome do cantor, verdadeiro porta-voz da planta que ele chamava carinhosamente de “a erva”.

O surgimento da Marley Natural marca a primeira vez em que o nome da família irá adornar embalagens de produtos de maconha, que irão das mudas semelhantes àquelas que Bob pode ter fumado em sua Jamaica natal a concentrados, óleos e loções, que serão vendidos em países e em Estados norte-americanos que adotaram medidas para descriminalizar e legalizar o uso e a venda de maconha.

Leia mais: Eike Batista vai a julgamento nesta terça por supostos crimes financeiros

Por que o investimento estrangeiro se sustenta no Brasil?

A Marley Natural provavelmente estará disponível na maconha e em outros produtos e acessórios no final de 2015, segundo o termo de licença global de 30 anos acordado entre a família e a empresa Privateer Holdings.

A marca, uma subsidiária sediada em Nova York, irá produzir e vender tópicos e acessórios de maconha em países de todo o mundo e pode assinar acordos de licenciamento que regulam as exigências de produção e embalagem com cultivadores e processadores que vendem maconha e produtos com infusões da erva em Estados dos EUA, entre outros planos.

Em 2009, a família de Bob Marley disse que iria entrar em parceria com a empresa de fundos de participação Hilco Consumer Capital para licenciar produtos que iriam de roupas a vídeo games.

Marley, a quem se credita ter ajudado a disseminar a música jamaicana para um público mundial com sucessos como “No Woman, No Cry” e “I Shot the Sheriff”, morreu de câncer em 1981 aos 36 anos de idade.

"Ele via a erva como algo espiritual que poderia despertar nosso bem-estar, aprofundar nossa reflexão, conectar as pessoas à natureza e liberar nossa criatividade”, disse Cedella Marley, filha de Bob, em um comunicado anunciado o acordo.

O negócio veio à tona semanas depois que dois Estados dos EUA votaram pela legalização da maconha para uso recreativo, abrindo espaço para lojas de venda direta ao consumidor semelhantes às que já operam no Colorado e em Washington.

A venda de maconha continua ilegal na maior parte do mundo, mas vários países da Europa e das Américas descriminalizaram a erva em graus variados.

A Holanda permite a venda de maconha em “cafeterias”, Israel e o Canadá e quase metade dos Estados norte-americanos liberaram seu uso medicinal e o Uruguai legalizou seu uso.

Nos EUA, a maconha ainda é proibida pela lei federal. O Departamento de Justiça e a Administração de Aplicação de Drogas (DEA, na sigla em inglês) não responderam de imediato a pedidos de entrevista sobre os planos.

Conheça alguns negócios da maconha nos EUA:

Produtores alimentam porcos com maconha no BB Ranch e depois servem a carne marinada em Seattle. Foto: DivulgaçãoO The Farm, em Boulder, no Colorado, vende a erva e também produtos orgânicos e naturais. Foto: DivulgaçãoO sorvete Mile High é feito com a erva no Colorado. Foto: DivulgaçãoA Medicine Man, em Denver, produz e vende a erva. Foto: DivulgaçãoA Vita Verde fabrica cremes com a maconha com fim terapêutico e relaxante. Foto: DivulgaçãoO clube iBake, em Denver, permite apenas a entrada de associados e fica aberto 24h. Promove passeios para curtir o uso recreacional da droga. Foto: DivulgaçãoA Cannabrand é uma agência de publicidade com foco nos empreendedores da maconha do Colorado. A empresa também vende acessórios. Foto: DivulgaçãoA Diego Pellicer planeja ser uma marca premium de maconha . Foto: DivulgaçãoA Venice Cookie criou a limonada de morango com maconha Cannabis e recomenda que a bebida seja tomada de forma lenta. Foto: DivulgaçãoA American Green, que vende roupas e acessórios, criou uma máquina para vender maconha, a Zazzz. Foto: DivulgaçãoA Kush Bottles vende em seu site canetas de vapor para diluir o cheiro da erva . Foto: DivulgaçãoA Kush Bottles criou uma embalagem para a maconha. O objetivo é que crianças não entrem em contato com a droga. Foto: DivulgaçãoA empresa Cannasecurity oferece soluções, como alarmes, para empreendedores que temem ser alvo de roubo no Colorado . Foto: DivulgaçãoA cooperativa Dockside, em Seattle, oferece tratamentos médicos com a erva e também vende produtos, como o chocolate 4:20, em seu site. Foto: DivulgaçãoO 3D Cannabis Center, em Denver, vende maconha para uso medicional e permite que visitantes acompanhem o processo de produção. Foto: Divulgação


Leia tudo sobre: maconhabob marleynegóciofundo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas