Consumidores relataram problemas para assinar contratos de concessão de crédito imobiliário, pois a Caixa alegou não ter recursos para financiamento

Brasil Econômico

Crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal recebe aporte de R$ 8,7 bilhões
shutterstock
Crédito imobiliário da Caixa Econômica Federal recebe aporte de R$ 8,7 bilhões


Foi anunciada nesta terça-feira (7), a liberação de crédito suplementar na ordem de R$ 8,7 milhões para a concessão de crédito imobiliário por meio de Caixa Econômica Federal. A instituição financeira informou que o recurso é oriundo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Leia também: Está endividado? Veja como usar o 13º salário para sair do vermelho

 Com o valor adicional, a Caixa Econômica afirmou que terá recursos para atender a demanda de concessão de crédito imobiliário aos consumidores que se enquadram no Programa Minha Casa, Minha Vida, que contempla famílias brasileiras com renda mensal bruto de até R$ 4 mil.

Na semana passada, diversos clientes que estavam prestes a assinar o contrato com a instituição financeira para aquisição de um imóvel relataram terem sido surpreendidos com “processos barrados dentro das agências”. Muitos afirmaram correr risco de perder o imóvel, pois sem o financiamento teriam de devolver para a construtora.

Mudanças

Em agosto deste ano, a Caixa reduziu o teto dos financiamentos imobiliários de imóveis novos e usados. A medida vale para todas as modalidades, como Minha Casa Minha Vida , Pró-Cotista FGTS e SBPE – que usa recursos da poupança.

Por meio de nota oficial, a financeira enfatizou que os contratos pendentes e que seriam finalizados pelas agências antes de serem enquadrados nos novos percentuais para financiamento, terão as condições anteriores mantidas, além de prorrogar a assinatura desses contratos até o final deste mês de novembro.

Leia também: Pagamento de multas poderão ser parceladas e pagas com cartão de crédito

Conforme já relatado, as inúmeras queixas com contratos parados nas agências, mesmo com carta de financiamento aprovada. Funcionários da instituição alegavam falta de recursos para a continuidade dos contratos de financiamento .

 “As avaliações dos imóveis em garantia ao crédito de pessoa física que tiveram sua validade expirada durante o período de transição serão renovadas automaticamente até o final do ano, garantindo a continuidade dos financiamentos”, acrescentou o banco, em nota.

Há dois meses, outra mudança na contratação de crédito imobiliário pegou os consumidores de surpresa. Em setembro, a Caixa reduziu para 50% do valor do imóvel o limite máximo de financiamento. O banco informou precisou adotar a estratégia de execução mensal do orçamento em todas as linhas de crédito imobiliário, “com objetivo de cumprir o orçamento anual disponível até dezembro”.

A instituição fez questão de ressaltar que as condições para a concessão de crédito imobiliário de imóveis novos não tiveram alterações, sendo que esse bem pode ser cotas de financiamento de até 80% do valor do imóvel.  “Essa medida tem objetivo de manter aquecida a indústria da construção civil do país, responsável por gerar emprego e renda”, enfatizou a comunicação da instituição.

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Consumidor: Veja como aproveitar as renegociações do Feirão Limpa Nome

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.