Tamanho do texto

Logomarca, campanhas publicitárias e novos produtos buscam associação com o bem-estar, a saúde e a valorização do meio ambiente

Um dos diferenciais da Química Amparo, que pode ter contribuído para o crescimento das vendas no ano passado, foi o fato de a empresa ter percebido uma tendência do consumidor brasileiro: a preferência por produtos que oferecem bem-estar e respeitam o meio ambiente. 

O chamado consumo consciente só foi recentemente detectado pelas pesquisas de mercado. A Nielsen identificou seus sinais no ano passado. Entre as 159 categorias de produtos que compõem sua cesta de análise, os que tiveram alguma associação com a defesa da saúde e do meio ambiente começaram a se destacar. Dos R$ 6,3 bilhões de faturamento adicional do setor de bens de consumo, quase 28%, o equivalente a R$ 1,8 bilhão, foram angariados nesse segmento. Os produtos politicamente corretos praticamente empataram com os que oferecem comodidade, hoje, os mais requisitados pelos consumidores. Resultados como esse consolidam entre os analistas a percepção de que as empresas precisam fortalecer posições nesse segmento para elevar as vendas nos próximos anos. 

“A valorização da sustentabilidade começou a ser percebida pelas empresas no Brasil há um cinco anos e vem sendo trabalhada de muitas maneiras”, diz Jefferson Rodrigo da Silva, executivo sênior de Atendimento da Nielsen especializado em higiene e limpeza. “Ela ainda não é tão forte quanto na Europa, mas, com certeza, é uma tendência entre os consumidores brasileiros.” 

Marketing sustentável

Nesse quesito, a Química Amparo posicionou-se bem à frente. Em 2003, a empresa implantou o departamento de marketing. O comando ficou a cargo de Waldir Beira Junior, o primogênito do casal, que havia desistido do curso de química e se formado em marketing. Com uma equipe jovem, então com menos de 30 anos, a primeira ação de peso foi criar uma sequência de campanhas com nomes populares entre a classe C, como Luiza Tomé, Suzana Vieira, Nicette Bruno e Paulo Goulart. 

Em 2007, o marketing lançou a nova logomarca da empresa atrelada à imagem de negócio que respeita não apenas a dona de casa, mas o futuro de seus filhos e a qualidade de vida do planeta. O marketing passou a valorizar a divulgação da parceria com a SOS Mata Atlântica para o plantio de árvores, os comerciais que enaltecem o valor da natureza e os produtos amigáveis ao meio ambiente. “Destacamos o valor de produtos como o sabão em pó Ypê Premium, lançado no ano passado”, diz João Augusto Geraldini, gerente de marketing de produtos da Química Amparo. “Ele não tem fosfato, ingrediente usado em adubos, que em contato com a água acelera a proliferação de algas que consomem seu oxigênio e podem comprometer a sobrevivência de peixes e plantas aquáticas.” 

Sem custo adicional

Os critérios para a gestão de custo dos produtos com apelo ambiental respeitaram a cartilha criada pelo fundador Waldyr Beira para o tradicional sabão em barra: preservar a relação custo/benefício. Outra razão para não cobrar mais, segundo Beira, foi a observação das pesquisas. Sabe-se que a grande maioria das pessoas sente-se mobilizada pelo tema sustentabilidade, mas resiste consumir produtos mais caros apenas porque são ambientalmente corretos. 

“Negociamos com fornecedores para equilibrar os custos e não impactar o preço final”, diz Beira. “E deixamos claro para a consumidora que ela ajuda o meio ambiente e não paga mais por isso”. A família ainda não tem ferramentas para medir se o posicionamento influencia diretamente nas vendas, mas, pelo resultado que estão conseguindo, com certeza não atrapalham.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.