Tamanho do texto

SÃO PAULO - Em movimento surpreendente, as bolsas de Nova York devolveram ganhos de mais de 2% ao longo do dia e fecharam no vermelho depois que finalmente o plano de US$ 700 bilhões para salvar o sistema financeiro foi aprovado pelo congresso americano. No entendimento dos agentes, o que o mercado questiona agora é a capacidade do pacote de sanear o mercado e de evitar uma recessão na economia do país.

O industrial Dow Jones fechou em baixa de 1,50%, para 10.325 pontos. O Standard & Poor's 500 cedeu 1,35% e encerrou com 1.099 pontos. O eletrônico Nasdaq terminou o dia aos 1.947 pontos, com desvalorização de 1,48% em relação ao último pregão.

Na semana, o Dow perdeu 5,9%, o S & P 500 caiu 8,3% e o Nasdaq recuou 9,3%
Além do ceticismo, o mercado também aumenta a cautela enquanto não fica claro o que pode dar certo e o que pode não funcionar no plano americano. Além disso, os agentes também encontram dificuldade para estabelecer preços justos para os ativos. Depois de tanta volatilidade e distorção está mais delicado encontrar parâmetros para ações em bolsa, preços de commodities e outros ativos.

Entre os destaques, os papéis da Exxon Mobil conseguiram encerrar com alta de 0,57% (US$ 77,94). Já as ações do Bank of America cederam 5,20% (US$ 34,48) e as do Citigroup perderam 18,44% (US$ 18,35), Os papéis do Wells Fargo perderam 1,71% (US$ 34,56) enquanto os do Wachovia subiram 58,82% (US$ 6,21).

O Citi havia fechado na segunda-feira um contrato preliminar para a compra das operações bancárias do Wachovia com exclusividade. Ainda assim o Wachovia fechou negócio e será comprado pelo Wells Fargo por US$ 15,1 bilhões. No acordo firmado com o Citi, o preço de avaliação da instituição era de aproximadamente US$ 2,2 bilhões.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.