Tamanho do texto

SÃO PAULO - Os principais índices de Wall Street terminaram esta sexta-feira quase na estabilidade

. Dados macroeconômicos e expectativas sobre a decisão monetária do banco central dos EUA (Federal Reserve, o Fed) influenciaram as negociações. O índice Dow Jones fechou com avanço de 0,04%, aos 11.118 pontos. O Nasdaq encerrou as operações com variação zero, aos 2.507 pontos. O S&P-500, no sentido contrário, fechou com queda de 0,04%, aos 1.183 pontos. Logo pela manhã, o Departamento de Comércio americano informou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu a uma taxa anualizada de 2% entre julho e setembro, acelerando o ritmo em relação aos três meses anteriores, quando o indicador marcou 1,7%. A notícia não foi suficiente para firmar a posição positiva das bolsas americanas. Mais tarde, foi divulgado o indicador de confiança dos consumidores, que piorou em outubro. A leitura final do índice passou de 68,2 em setembro para 67,7 neste mês, abaixo das estimativas de alguns analistas. Na Ásia, a notícia negativa ficou por conta da produção industrial japonesa, que diminuiu 1,9% entre agosto e setembro, o quarto decréscimo mensal consecutivo. Na Europa, a taxa de desemprego na zona do euro avançou para 10,1% em setembro, após registrar 10% em agosto, segundo informou nesta sexta-feira a agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat. No âmbito corporativo, um dos destaques do pregão ficou por conta da Sony, que divulgou um lucro líquido de US$ 375 milhões no terceiro trimestre e elevou as projeções de resultados para o resto do ano. As ações da empresa apresentaram pequena alta, de 0,06%. (Vanessa Dezem | Valor, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.