Tamanho do texto

Elevação do teto do endividamento federal dos Estados Unidos enfrenta seu último voto nesta terça-feira

A elevação do teto do endividamento federal dos Estados Unidos enfrenta seu último voto nesta terça-feira, que também marca o prazo final para que a matéria seja aprovada, afastando o país de um default.

No domingo, o presidente Barack Obama anunciou um acordo envolvendo democratas e republicanos para aumentar o limite de endividado e cortar gastos.

Ontem, segunda-feira, os deputados aprovaram o projeto, por 269 votos a 161. Hoje é a vez do Senado apreciar a matéria. que deve aprová-la sem dificuldades. Ainda existe a expectativa sobre qual será a avaliação do plano pelas agências de rating.

A proposta prevê a elevação do teto em US$ 2,4 trilhões em dois estágios e um corte de gasto de mesma monta ,diluído em 10 anos. A nota "AAA", a maior da escala, está sob revisão.

Passando para a agenda de indicadores, no front local, o foco recai na produção industrial de junho, que deve mostrar contração de 0,1%, após expansão de 1,3%. Na agenda política, o governo deve anunciar seu novo plano de política industrial.

Nos EUA, merecem atenção a venda de veículos no mês passado e o relatório sobre a renda e o gasto do americano. Está prevista uma expansão de 0,2% para os dois indicadores em junho. Na zona do euro, sai o índice de preços ao produtor de junho.

Na quarta-feira, sai o relatório sobre o emprego no setor privado da ADP, empresa que processa folhas de pagamento nos EUA.

Na quinta, ficam no foco as reuniões do Banco Central Europeu (BCE) e Banco da Inglaterra (BoE).

A semana acaba com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de julho e com os dados oficiais sobre o mercado de trabalho dos EUA.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.