Tamanho do texto

A Volvo do Brasil anunciou hoje, oficialmente, o início do segundo turno na fábrica instalada na Cidade Industrial de Curitiba a partir de janeiro de 2010, com a contratação de 250 novos trabalhadores. Com isso, a produção de caminhões passará de 55 para 70 por dia.

O Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba, que tinha sido comunicado antecipadamente, comemorou a medida. "Fizemos uma das melhores negociações salariais, porque sabíamos que a economia estava aquecendo, o que se prova agora, mostramos que valeu a pena ter uma coerência entre o capital e o trabalho", disse o diretor do sindicato, Nelson de Souza.

O novo turno mobilizará os trabalhadores entre as 17 horas e 1h30 da madrugada. De acordo com a Volvo, serão fabricados caminhões da linha F. "Esta é a terceira vez que a Volvo institui um segundo turno na linha de produção de caminhões, desde que a empresa começou a fabricar veículos no Brasil, em 1980", disse o diretor de RH e assuntos institucionais da empresa, Carlos Morassutti. Segundo o gerente de caminhões da linha F, Bernardo Fedalto Júnior, o mercado melhorou em razão da recuperação da economia brasileira e os juros mais baixos, "mais próximos das necessidades do transportador".

O diretor do sindicato ressaltou que já tinha recebido telefonemas de pelo menos 20 dos cerca de 400 trabalhadores que foram demitidos no início da crise econômica internacional, comunicando que foram contatados pela fábrica. "Um dos acordos é que, no caso de abertura de vagas, dariam prioridade para os que saíram", disse Souza. Ele acentuou que o reflexo será imediato em toda a cadeia. Para cada emprego na montadora são gerados entre 13 e 15 nos fornecedores.

A fábrica de cabines da Volvo já opera em dois turnos. A unidade brasileira atende o mercado brasileiro e é responsável pela comercialização de caminhões para toda a América do Sul e, eventualmente, para outros mercados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas