Tamanho do texto

Caracas, 17 jan (EFE).- O Governo da Venezuela indicou hoje que está disposto a assumir novos cortes em sua produção de petróleo, para proteger o mercado dos hidrocarbonetos.

A posição da Venezuela, quinto maior exportador mundial da commodity, foi informada em comunicado do ministro da Energia e Petróleo, Rafael Ramírez.

A nota não especifica o número de barris que sairiam do mercado com um possível novo corte, e se limita a indicar que não contestaria uma iniciativa nesse sentido da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), da qual a Venezuela é membro.

No comunicado, expressa ainda a satisfação da Venezuela com os cortes de produção decididos pela Opep nos últimos cinco meses, destinados a impedir o desabe dos preços do barril.

No dia 1º de janeiro, a Venezuela cortou sua produção em 189 mil barris diários, adotando a decisão tomada pela Opep em 17 de dezembro na Argélia.

Ramírez assinala na nota que Ramírez está em contato com os outros países-membros da Opep para conhecer o nível de cumprimento dos cortes estipulados.

O Ministério de Energia e Petróleo assinalou que, depois da adequação aos acordos da Opep, a produção atual de petróleo da Venezuela é de mais de três milhões de barris diários. EFE rr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.