Tamanho do texto

Embarques de petróleo aumentaram para os EUA; minério de ferro foi responsável por queda nas vendas para o gigante asiático

selo

A secretária de Comércio Exterior, Tatiana Prazeres, afirmou que as vendas para os Estados Unidos tiveram recuperação no primeiro bimestre e superaram as exportações para a China pelo segundo mês. A participação das exportações no mercado norte-americano passou de 10,2% para 12,6%. No caso da China, recuou de 13,1% para 12,1% na comparação entre o primeiro bimestre de 2011 e 2012.

Leia também: Brasil tem superávit comercial de US$ 1,7 bilhão em fevereiro

Para os EUA, destacaram-se os embarques de petróleo, cujas vendas para a Europa caíram. Em relação à China, houve queda nas vendas de minério de ferro, parcialmente compensadas pelas exportações de soja. "Há três meses estamos destacando o aumento da exportação de soja em um período que não é exatamente o da safra. Principalmente para a China", afirmou.

Para a Europa, no entanto, o governo diz que há bastante discrepância nos números de janeiro e fevereiro, o que dificulta uma análise de tendência. "Houve aumento principalmente no leste europeu e recuo em alguns países centrais. Mas é difícil nesse momento fazer análise de diagnóstico e tendência", afirmou a secretária.

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Alessandro Teixeira, também afirmou que, nos próximos meses, haverá momentos de alta e de queda nas vendas para a Europa. "É um continente que está em crise. Você não consegue ter tendência, e isso é o que nos preocupa. É imprevisível."

Falou ainda sobre o minério de ferro, que tende a perder relevância nas exportações do Brasil neste ano. No primeiro bimestre, as vendas de minério de ferro caíram 24% em relação ao mesmo período de 2011, sendo 14% em preço e 11% em quantidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.