Tamanho do texto

Os relatórios divulgados pelas montadoras nesta terça-feira sugerem que as vendas de automóveis nos EUA se estabilizaram após o fim dos incentivos do governo, em agosto. No entanto, os números de novembro foram comparados aos baixos dados do mesmo mês do ano passado.

George Pipas, gerente de vendas da Ford, estimou para todo o setor uma taxa de vendas anualizada ajustada sazonalmente entre 10,4 milhões e 10,5 milhões de unidades em novembro. Essa estimativa está em linha com o desempenho das vendas de veículos nos EUA em outubro deste ano e acima das 10,17 milhões de unidades vendidas em novembro de 2008.

A General Motors, por sua vez, afirmou esperar uma taxa de vendas mais alta que a de outubro, de cerca de 11 milhões de unidades. A GM, maior montadora dos EUA, anunciou queda de 1,8% nas vendas de veículos leves no país em novembro, para 150.676, com redução de 1,3% nas vendas de carros e de 2,1% na de caminhões leves.

A japonesa Toyota Motor teve alta de 2,6%, enquanto a Chrysler, agora relegada à quinta posição no mercado, registrou declínio de 25%. As vendas da Toyota subiram para 133.700 veículos, com aumento de 6,1% no segmento de carros e queda de 2,5% no de caminhões.

A Hyundai Motor vendeu 28.045 veículos, 46% mais que em novembro do ano passado, já a Honda Motor vendeu 74.003 unidades, 2,9% menos na mesma comparação. As vendas da alemã BMW caíram 7,5%, para 18.727. A Ford informou mais cedo que teve aumento de 0,1% nas vendas de veículos leves nos EUA em novembro, para 122.846.

Observadores da indústria esperavam que as vendas de veículos novos nos EUA aumentassem em novembro, com ajustes por causa dos dois dias a menos de vendas neste ano. A J.D. Powers, por exemplo, havia chamado atenção para as fortes vendas de frotas e a estabilização econômica. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.