Tamanho do texto

SÃO PAULO, 4 de novembro (Reuters) - As vendas de automóveis e comerciais leves novos no país recuaram 5,17 por cento em outubro na comparação com setembro, para 281.306 unidades, segundo dados da Fenabrave, associação das concessionárias, divulgados nesta quarta-feira. A Fenabrave já esperava retração das vendas de outubro na comparação com o mês imediatamente anterior, diante do retorno gradual do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) incidente sobre carros, e Sérgio Reze, presidente da entidade, disse que o mercado já superou a crise.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577800045&_c_=MiGComponente_C

"Na comparação mensal, o que ocorreu foi um forte estresse do mercado, com os consumidores procurando comprar antes da volta do IPI, ainda que as concessionárias e montadoras tenham feito forte campanha em outubro para as vendas com preços nos patamares dos preços de setembro", afirmou Reze.

Para 2010, ele previu crescimento de 9 por cento a 10 por cento nas vendas de automóveis e comerciais leves.

Em setembro, último mês com desconto cheio do IPI, as vendas de automóveis e comerciais leves foram recordes em 296.651 unidades.

Na comparação com outubro de 2008, contudo, houve crescimento de 25,17 por cento nas vendas.

"A diferença entre outubro de 2008 e de 2009 nós não devemos usar como comparação, porque foi nesse período do ano passado que a crise afetou a indústria", acrescentou Reze.

No acumulado de janeiro a outubro, os emplacamentos de automóveis e comerciais leves no varejo cresceram 7,39 por cento ante igual intervalo de 2008, para 2,493 milhões de unidades, conforme a Fenabrave.

Incluindo ônibus e caminhões, as vendas em outubro somaram 294.442 unidades, queda de 4,62 por cento sobre setembro.

(Reportagem de Rodolfo Barbosa)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.