Tamanho do texto

No trimestre, porém, vendas estacionaram, recuando ligeiros 0,6% ante recorde registrado em 2011

As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil dispararam 20,5% em março sobre fevereiro, incentivadas por um número maior de dias úteis. Na comparação anual, porém, houve queda de 1,6%, informou uma fonte à Reuters nesta segunda-feira com acesso aos dados preliminares.

As vendas do mês passado somaram 284,1 mil unidades nas duas categorias ante 235,8 mil em fevereiro e 288,7 mil em março de 2011. O recorde de emplacamentos para março é 2010, quando a indústria registrou vendas de 337,4 mil automóveis e comerciais leves.

A queda do mês passado na comparação anual ocorreu apesar da incidência do Carnaval em março em 2011, enquanto neste ano o feriado ocorreu em fevereiro.

Em dias úteis, as vendas no mês passado corresponderam a 12,9 mil automóveis e comerciais leves, ligeiro incremento ante as 12,4 mil unidades de fevereiro, segundo cálculos da Reuters.

No trimestre, as vendas de automóveis e comerciais leves estacionaram, recuando ligeiros 0,6% sobre o recorde registrado no mesmo período de 2011, para 772,6 mil unidades, segundo a fonte.

O desempenho está abaixo da expectativa para 2012 da associação de montadoras Anfavea, de alta de 4% a 5% nas vendas. Em março, o presidente da entidade, Cledorvino Belini, afirmou que a indústria espera uma retomada mais forte no ritmo de crescimento a partir do segundo semestre, quando as reduções de juros e as medidas do governo de estímulo à economia deverão se fazer sentir inteiramente.

A Fiat ficou na liderança do mercado em março, com vendas de 66,2 mil automóveis e comerciais leves, expansão de 19,4% sobre fevereiro. A montadora italiana foi seguida pela alemã Volkswagen, com emplacamentos de 58,5 mil unidades, expansão de 16,4%.

A norte-americana General Motors teve vendas de 45,2 mil veículos, crescimento de 16,6%. Já a Ford, também sediada nos Estados Unidos, licenciou 27,9 mil unidades, alta de 24,5% sobre fevereiro. A francesa Renault aparece na sequência, com emplacamentos de 19,6 mil unidades, crescimento de 21,4%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.