Tamanho do texto

Montevidéu, 4 dez (EFE).- Neste ano, a economia uruguaia crescerá pelo menos 1,2% e em 2010, mais 3,5%, apesar da crise econômica mundial, segundo projeções divulgadas hoje pelo Governo no balanço da gestão econômica do presidente em fim de mandato, Tabaré Vázquez.

Entre as justificativas para o resultado positivo do Produto Interno Bruto (PIB) uruguaio, estão o aumento nas exportações, importações, mercado doméstico e investimento privado, informou o vice-ministro de Economia e Finanças, Andrés Masoller.

O percentual de 1,2% registrado agora é superior aos dados divulgados em outubro no relatório de perspectivas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), que projetava para o Uruguai um crescimento de 0,6%.

Segundo o Governo uruguaio, se não fosse à estiagem que atingiu o país entre o final de 2008 e o início deste ano, a alta do PIB teria se aproximado de 2,7%.

"Na América Latina, neste ano, a média será de um decréscimo de 2,5%, enquanto o Uruguai terá crescimento de 1,2%", disse Masoller.

Embora essa fosse a previsão do FMI para a região há dois meses, a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) antecipou na última quinta-feira que o crescimento econômico da América Latina cairá em 2009 entre 1,5% e 2%.

Conforme Masoller, a projeção que o Ministério da Economia e Finanças e o Banco Central uruguaio realizaram para o ano "ainda está sendo revisada para cima", por isso que "poderia chegar a 1,5%". EFE jf/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.