Tamanho do texto

Bruxelas, 15 out (EFE).- Os representantes da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) e do Mercosul encerraram hoje uma nova rodada de negociações para um acordo de associação, na qual propuseram um ambicioso calendário de trabalho até meados de 2011, quando poderiam fechar o tratado, segundo a missão do Brasil perante a UE.

Bruxelas, 15 out (EFE).- Os representantes da Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) e do Mercosul encerraram hoje uma nova rodada de negociações para um acordo de associação, na qual propuseram um ambicioso calendário de trabalho até meados de 2011, quando poderiam fechar o tratado, segundo a missão do Brasil perante a UE. Desde segunda-feira e até hoje aconteceu em Bruxelas a segunda rodada de negociações desde que a UE e os países do Mercosul (Brasil, que preside agora o organismo, Argentina, Paraguai e Uruguai) decidiram retomá-las na cúpula que realizaram em Madri em maio. As delegações se centraram no pilar comercial do futuro acordo, que consta também dos pilares de diálogo político e cooperação. Concretamente, propuseram que a próxima rodada de negociações, a terceira, aconteça em Brasília no final de novembro ou começo de dezembro, e que se realizem outras três rodadas durante a primeira metade de 2011, segundo informou em comunicado a Missão do Brasil perante a União Europeia (UE). O comissário europeu de Comércio, o belga Karel De Gucht, já manifestou sua vontade de concluir as negociações em meados do próximo ano. "Ambas as partes reafirmaram esta semana seu compromisso para negociar um pilar comercial equilibrado e ambicioso do acordo de associação UE-Mercosul", destaca a nota divulgada pelo Brasil. Por sua vez, sublinharam os "grandes lucros econômicos e políticos" que pode gerar um aprofundamento das relações entre as duas regiões, que juntas representam um mercado de mais de 700 milhões de pessoas e um PIB combinado de mais de 13 trilhões de euros. Ao longo desta sessão de trabalho foram alcançados "progressos" no referente à parte normativa do acordo, destacaram as fontes diplomáticas brasileiras. A UE e o Mercosul continuam assim negociações que estavam suspensas desde 2004, principalmente por causa da falta de avanços na Rodada de Doha para a liberalização do comércio mundial. EFE rja/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.