Tamanho do texto

GENEBRA - O UBS, um dos maiores bancos da Europa, anunciou hoje a nomeação de um novo executivo-chefe, no rastro de enormes prejuízos e escândalos de ajudar fraude fiscal nos Estados Unidos. O novo CEO é Oswald Gruebel, que estava na aposentadoria depois de ter presidido o Credit Suisse, o banco rival.

A cabeça de Marcel Rohner estava a prêmio já há vários dias, depois que o até então presidente-executivo do UBS ter sido acusado de saber das montagens financeiras para ajudar sonegadores americanos a guardar seu dinheiro no banco, sob o manto do segredo bancário suíço.

A questão agora é até quanto tempo Peter Kurer, presidente do conselho de administração, vai continuar no cargo, porque ele também está sob o alvo de enormes críticas.

A nomeação de Gruebel foi bem recebida no mercado hoje cedo. A ação do UBS chegou a subir quase 13% para a alta se estabilizar em seguida em 10%, com os acionistas visivelmente aliviados com a mudança na direção executiva do UBS.

Em comunicado hoje cedo, o UBS diz que a decisão de nomear Oswaldo Gruebel "constitui uma nova etapa para restabelecer a confiança no UBS e trazer de volta o banco ao caminho do sucesso".

(Assis Moreira | Valor Econômico para o Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.