Tamanho do texto

Paris, 29 out (EFE).- Três refinarias que estavam paralisadas na França, todas da multinacional Total, retomarão nesta sexta-feira suas atividades depois que funcionários de outras instalações votaram a favor do retorno ao trabalho, disseram fontes do grupo.

Paris, 29 out (EFE).- Três refinarias que estavam paralisadas na França, todas da multinacional Total, retomarão nesta sexta-feira suas atividades depois que funcionários de outras instalações votaram a favor do retorno ao trabalho, disseram fontes do grupo. Durante a manhã desta sexta-feira, os empregados de três refinarias do grupo Total votaram a favor da volta ao trabalho em Dunkerque, Gonfreville e no terminal petrolífero de Le Havre, todos localizados no noroeste do país e em greve desde o dia 12 de outubro. Ainda restam outras três refinarias bloqueadas no país, que também são da Total. Situadas em Donges (oeste), Feyzin (leste) e Grandpuits, nos arredores de Paris, elas terão o destino decidido na tarde desta sexta-feira, indicaram fontes da multinacional. "As outras refinarias já haviam voltado ao trabalho, portanto não tinha sentido continuar", declarou Eric Delmas, delegado do sindicato CGT na refinaria de Gonfreville. O bloqueio das refinarias está relacionado com os protestos contra a reforma da previdência, que deram sinais de esgotamento nesta quinta-feira em uma nova jornada de greve na qual foi constatado tanto pelos sindicatos quanto pelo Governo que o número de manifestantes caiu significativamente. Segundo os últimos dados do Governo, 85% dos postos de gasolina já estão em funcionamento e estima-se que a normalidade só seja retomada dentro de alguns dias, já que após a atividade das refinarias ser restabelecida, são necessários de três dias a uma semana para se começar a produzir combustível. EFE vm/mm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.