Tamanho do texto

Presidente do Banco Central diz que ampliação dos investimentos é fundamental para crescimento sustentável do País

selo

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, afirmou hoje que, além de maior investimento em infraestrutura, "é importante que o mercado de crédito avance no setor imobiliário". Durante evento no Congresso Brasileiro do Aço, em São Paulo, ele destacou que, apesar de o mercado de capitais ter registrado incremento nos últimos anos, esse processo "não foi homogêneo".

"O segmento de renda fixa privada ocupa papel menor do que o seu potencial. O mercado de crédito e de renda fixa privado pode atuar de forma complementar no esforço de ampliação de investimentos", comentou. "Cabe ao mercado de capitais viabilizar os colchões de recursos para que sejam absorvidos em investimentos de infraestrutura."

Tombini lembrou que instrumentos como os certificados de recebíveis imobiliários (CRI) e a alienação fiduciária contribuíram para ampliar o mercado habitacional nos últimos anos. Ele observou que as letras financeiras também têm exercido papel importante e já chegam a um volume total de recursos próximo a R$ 90 bilhões.

O presidente do BC afirmou ainda que o Brasil tem excelentes perspectivas de expansão nos próximos anos, mas seria necessária a superação de importantes desafios. Ele citou três. "O primeiro deles é a erradicação da pobreza extrema e a melhor contribuição do BC para isso é assegurar a inflação baixa", disse. O segundo desafio citado por Tombini é a ampliação do nível educacional da população brasileira, pois "o investimento em capital humano" é importante para aumentar a produtividade da economia e melhorar as bases de crescimento do País. O terceiro desafio é a ampliação dos investimentos no Brasil.

Tombini disse que a ampliação dos investimentos é importante para que o Brasil continue sua trajetória de expansão nos próximos anos, com inflação baixa. "Queremos crescer de forma sustentável, a taxas mais altas. Não podemos nos acomodar."