Tamanho do texto

O secretário do Tesouro americano, Timothy Geithner, chegou neste domingo à China, onde abordou com o vice-primeiro ministro, Wang Qishan, "assuntos econômicos bilaterais", em alusão ao valor do iuane, que Washington considera baixo.

O secretário do Tesouro americano, Timothy Geithner, chegou neste domingo à China, onde abordou com o vice-primeiro ministro, Wang Qishan, "assuntos econômicos bilaterais", em alusão ao valor do iuane, que Washington considera baixo.

Após ser recebido por Wang no aeroporto da cidade de Qingdao (leste), Geithner participou de um almoço de trabalho com autoridades chinesas, afirmou um porta-voz do secretário americano, Steven Adamske.

Foram tratados "assuntos econômicos bilaterais" e "muitas outras coisas", acrescentou.

Durante a reunião surgiu a polêmica questão do valor da moeda chinesa: Washington acredita que os líderes chineses a mantém muito abaixo do que vale para prosseguir com as exportações elevadas.

Geithner participou da reunião de ministros das Finanças dos países do G20, realizada na província sul-coreana de Gyeongju.

No fim da reunião do G20, os países ricos e emergentes concordaram em limitar os desequilíbrios de suas contas correntes e parar de intervir para desvalorizar suas moedas, com o objetivo de sustentar o crescimento mundial.

Os países emergentes devem permitir que suas moedas se valorizem e reforçar sua demanda interna, declarou Geithner ao final do G20, que agrupa os países mais ricos e as principais potências emergentes.

Precisamos de uma "valorização gradual" das moedas dos principais países com um forte excedente comercial, afirmou.

Sem citar a China, estimou que estas economias deve se afastar da "dependência das exportações e reforçar sua demanda interna".

ebe/dfg/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.