Tamanho do texto

Além de uma gestão de caixa conservadora, a Telefônica quer se armar contra a crise com a aposta em serviços digitais para residências. Por isso, lançará em janeiro, em escala comercial, um serviço de vídeo sob demanda que trafegará em sua rede de fibra óptica.

Serão oferecidos 500 títulos, entre filmes, shows, séries, programas infantis, documentários e outros conteúdos.

Inicialmente, o serviço será lançado na cidade de São Paulo. Os preços e as condições dos pacotes serão detalhados somente em janeiro. Em vez de IPTV(televisão transmitida pela internet), a empresa está procurando divulgar o produto como uma locadora virtual. É que, pela regulamentação vigente, empresas de telefonia podem ofertar somente vídeo sob demanda, e não uma programação empacotada em canais.

O que permitiu a Telefônica ofertar este serviço foi a expansão de sua rede de fibra óptica, que agora abrange 370 mil residências no Estado de São Paulo (na capital e em oito cidades paulistas). A rede começou a ser oferecida a 40 mil domicílios no bairro dos Jardins.

Segundo a diretora-geral da TVA, Leila Lória, a Telefônica está fechando contratos com a Warner e Disney diretamente. O acerto para os demais conteúdos está ocorrendo com a Digital Latin America (DLA). A Telefônica detém parte da TVA, com a qual mantém uma parceria comercial em São Paulo porque a lei atual proíbe as concessionárias de controlarem empresas de TV a cabo nas áreas onde atuam.

De acordo com o presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente, o conceito de "lar digital" dará a tônica aos negócios da operadora. Em coletiva de imprensa, Valente afirmou que, apesar de ter apenas 450 mil clientes de TV paga até agora (a empresa oferece o serviço via TVA e por uma licença para explorar TV via satélite/DTH), a Telefônica contribuiu para o aumento da oferta. "Com a entrada da Telefônica, a penetração do serviço de TV por assinatura subiu 2 pontos porcentuais, para 15%. "Antes, os competidores nadavam de braçada nesta piscina sem concorrência e, com a entrada da Telefônica, eles começaram a se mexer", disse Valente.

Dentro da estratégia de serviços para o lar digital, a Telefônica promete para o início de 2009 o lançamento de um aparelho com tela sensível ao toque que permite conexão de banda larga. O produto, cujo nome provisório é "Orby", também funciona como telefone fixo. Por enquanto, o "smartphone" para residência está sendo testado por 100 clientes da Telefônica. O preço do serviço ainda não foi definido, mas o aparelho já está sendo vendido por R$ 1.500,00 em uma loja no Shopping Paulista. A operadora deve subsidiar o produto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.