Tamanho do texto

SÃO PAULO - A utilização do mercado de capitais para financiamento das fábricas da Suzano no Piauí e no Maranhão não está descartada pela companhia, mas a alternativa não é " para agora " , afirmou Antonio Maciel Neto, presidente da Suzano Papel e Celulose. " Não há nenhum banco contratado para fazer emissão. Nós estamos sempre estudando essa alternativa " , enfatizou o executivo.

SÃO PAULO - A utilização do mercado de capitais para financiamento das fábricas da Suzano no Piauí e no Maranhão não está descartada pela companhia, mas a alternativa não é " para agora " , afirmou Antonio Maciel Neto, presidente da Suzano Papel e Celulose. " Não há nenhum banco contratado para fazer emissão. Nós estamos sempre estudando essa alternativa " , enfatizou o executivo. Maciel explica que vai enviar no início de maio um pedido formal (carta consulta) ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com a finalidade de obter recursos para financiar parte do orçamento de R$ 8 bilhões previsto para as duas fábricas. Além do BNDES, a empresa conversa com o Banco do Nordeste e fornecedores, pretendendo também utilizar a geração de caixa para tais investimentos. " Até o fim do ano precisa estar definido (a fonte de financiamento), pois precisamos iniciar as compras dos equipamentos para a fábrica do Maranhão no primeiro trimestre do ano que vem " , afirmou o executivo. Ele também afirma estar confiante sobre a aprovação do BNDES e promete se concentrar neste ano na formalização de todos os pedidos de financiamento necessários. " Se houver necessidade, podemos depois recorrer ao mercado de capitais. O cenário mais provável é que podemos usar (o mercado de capitais) " , disse. (Vanessa Dezem | Valor)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.