Tamanho do texto

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que o esforço fiscal para 2009 continua sendo de 4,3% do Produto Interno Bruto (PIB), assim como neste ano. Segundo o ministro, esse esforço representa um superávit primário (antes do pagamento de juros da dívida) das contas do setor público de 3,8% do PIB mais uma reserva de 0,5% para o Fundo Soberano do Brasil.

Na prática, portanto, será feito um superávit primário de 4,3%.

"Não há mudança em relação à meta de superávit primário. O ministro Paulo Bernardo (do Planejamento) está certo. Teremos um superávit de 3,8%. Só que tem mais 0,5% do Fundo Soberano", disse o ministro.

Leia mais sobre superávit primário

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.