Tamanho do texto

BRASÍLIA - O Brasil registrou um superávit na balança comercial de US$ 615 milhões em novembro, valor 62,4% inferior ao do mesmo mês de 2008 e o menor dos últimos dez meses, informou nesta terça-feira o governo.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237574254157&_c_=MiGComponente_C

O saldo na diferença entre as exportações e as importações do Brasil não era tão baixo desde janeiro do ano passado, quando o País registrou um déficit em sua balança comercial de US$ 529 milhões, segundo as estatísticas do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Em comparação a outubro deste ano, o superávit foi em 53,7% inferior.

O resultado de novembro foi resultado de exportações no valor de US$ 12,653 bilhões e importações de US$ 12,038 bilhões.

Enquanto as exportações caíram 14,23% em comparação a novembro do ano passado, as importações diminuíram 8,98% frente às do mesmo mês de 2008.

O resultado de novembro elevou para US$ 23,202 bilhões o superávit acumulado nos primeiros 11 meses do ano, 2,46% a mais que no mesmo período do ano passado.

A crise econômica global reduziu tanto as exportações quanto as importações brasileiras, e causou uma queda do fluxo comercial de US$ 345,604 bilhões nos primeiros 11 meses do ano passado para US$ 253,862 bilhões no mesmo período deste ano.

Os economistas das entidades bancárias privadas consultados na semana passada pelo Banco Central preveem que o Brasil fechará este ano com um superávit em sua balança comercial de US$ 25 bilhões, um pouco superior ao de US$ 24,7 bilhões de 2008.

A atual previsão é muito superior à que era calculada no início do ano, quando se esperava um saldo positivo de US$ 16 bilhões.

Em qualquer dos casos, o balanço deste ano ficará longe dos US$ 40 bilhões acumulados em 2007 e do recorde de US$ 46,456 bilhões de superávit comercial que o Brasil obteve em 2006.

Leia mais sobre: balança comercial

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.