Tamanho do texto

Déficit comercial do Brasil com o país caiu de US$ 1,528 bilhão para US$ 996 milhões na passagem de março para abril

O superávit da balança comercial dos países da América Latina e do Caribe com os Estados Unidos recuou 5,2% em abril, para US$ 6,328 bilhões, informou nesta quinta-feira o Departamento de Comércio americano.

Nos quatro primeiros meses de 2011, o superávit latino-americano e caribenho somou US$ 23,445 bilhões frente aos US$ 19,194 bilhões do mesmo período de 2010. O superávit do México em seu comércio de bens com os EUA caiu 11,6%, de US$ 6,169 bilhões em março para US$ 5,454 bilhões.

Nos quatro primeiros meses do ano, o superávit mexicano soma US$ 21,782 bilhões na comparação com os US$ 20,573 bilhões em igual período do ano anterior. Argentina registrou aumento de seu déficit com os Estados Unidos em abril, ao passar de US$ 339 milhões em março para US$ 455 milhões em abril, e acumula neste ano déficit de US$ 1,364 bilhão.

O Brasil cortou o déficit comercial com os EUA, que passou de US$ 1,528 bilhão em março para US$ 996 milhões, uma redução de US$ 532 milhões, e registra nos primeiros quatro meses do ano déficit de US$ 4,460 bilhões. No mesmo período de 2010, o déficit comercial do Brasil com os EUA era de US$ 3,136 bilhões.

Já o Chile registrou em abril um déficit comercial com os EUA de US$ 446 milhões, US$ 96 milhões a mais que em março, enquanto a Colômbia apresentou superávit de US$ 902 milhões frente aos US$ 678 milhões de março, e acumula saldo positivo de US$ 2,198 bilhões desde janeiro de 2011.

Por sua vez, a Venezuela manteve seu habitual superávit comercial com os EUA, devido ao petróleo, registrou saldo positivo de US$ 2,777 bilhões em abril, ligeiramente abaixo do de março, quando atingiu US$ 2,986 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.