Tamanho do texto

SÃO PAULO - Após seis anos de avanços ininterruptos, as exportações da Argentina recuaram 6% em novembro na comparação com um ano atrás, afetadas pela menor demanda internacional e pela queda nos preços das commodities. A crise internacional também foi sentida no mercado doméstico - as importações da Argentina diminuíram 5%, a primeira retração desde janeiro de 2003.

As vendas externas corresponderam a US$ 5,099 bilhões no penúltimo mês deste calendário e as compras ficaram em US$ 4,147 bilhões. Com isso, a balança comercial argentina apresentou superávit de US$ 952 milhões no mês passado, mais enxuto do que o US$ 1,027 bilhão somado em novembro de 2007.

Nos 11 primeiros meses deste exercício, as exportações alcançaram US$ 66,269 bilhões e as importações situaram-se em US$ 53,955 bilhões, resultando em saldo comercial positivo em US$ 12,314 bilhões.

O Mercosul, principal parceiro comercial da Argentina, concentrou 26% das vendas do país e 34% das compras.

Os dados foram apresentados ontem pelo Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec) da Argentina.

(Valor Online, com agências argentinas)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.