Tamanho do texto

Saldo até a segunda semana de junho está positivo em US$ 10,514 bilhões

A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 1,063 bilhão na segunda semana de junho, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Entre os dias 6 e 12, as exportações somaram US$ 5,377 bilhões, com média diária de US$ 1,075 bilhão, enquanto as importações chegaram a US$ 4,314 bilhões, com média de US$ 862,8 milhões.

Na primeira semana de junho (do dia 1º ao dia 5), a balança comercial registrou um superávit de US$ 896 milhões, com US$ 3,362 bilhões em exportações e US$ 2,466 bilhões em importações. No acumulado de junho, até a segunda semana, a balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,959 bilhão. Nos oito primeiros dias úteis do mês, as exportações totalizaram US$ 8,739 bilhões e as importações, US$ 6,780 bilhões.

Em relação à média diária de embarques de junho do ano passado, houve crescimento de 34,2%. Na comparação com maio deste ano, houve aumento de 3,5%. Nas importações, o valor foi 20% superior à média registrada no sexto mês de 2010 e 5,3% menor que o apurado no mês passado.

Acumulado do ano

A balança comercial brasileira acumula um superávit de US$ 10,514 bilhões em 2011, até a segunda semana de junho, de acordo com os dados do MDIC. O resultado é 59% maior que os US$ 6,598 bilhões registrados no mesmo período de 2010.

A corrente de comércio (soma das exportações e das importações) chegou a US$ 196,192 bilhões, superando em 29,5% o total de US$ 151,526 bilhões apurado em igual período de 2010. Até a segunda semana de junho, as exportações totalizaram US$ 103,353 bilhões, com média diária de US$ 931,1 milhões, equivalentes a um crescimento de 29,5% ante a média de US$ 718,7 milhões registrada no mesmo período de 2010.

Em 2011, as importações já chegam a US$ 92,839 bilhões, com média diária de US$ 836,4 milhões, valor 27% superior à média de US$ 658,8 milhões registrada em igual período do ano passado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.