Tamanho do texto

Ex-diretor-gerente visitou a sede do Fundo em Washington, segundo comunicado emitido pelo organismo

Dominique Strauss-Kahn , ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), visitou na segunda-feira (29) a sede do organismo em Washington, onde se reuniu brevemente com sua sucessora, Christine Lagarde, e com outros colegas.

"Strauss-Kahn visitou a sede central do FMI nesta tarde. Posso confirmar que a diretora-gerente esteve brevemente com ele, antes do encontro de Strauss-Kahn com os funcionários", disse um porta-voz do FMI em comunicado.

Ex-chefe do FMI, Dominique Strauss-Kahn, e sua esposa, Anne Sinclair, são vistos com o reflexo do prédio do fundo na janela de seu carro em Washington (EUA)
AFP
Ex-chefe do FMI, Dominique Strauss-Kahn, e sua esposa, Anne Sinclair, são vistos com o reflexo do prédio do fundo na janela de seu carro em Washington (EUA)
"Foram reuniões privadas, a pedido de Strauss-Kahn". Depois que o juiz Michael Obus retirou todas as acusações por crimes sexuais contra Strauss-Kahn, na última terça-feira, o FMI anunciou que ele faria uma visita à sede do organismo "nesta semana".

Strauss-Kahn foi detido no dia 14 de maio no aeroporto nova-iorquino John F. Kennedy, quando já estava sentado em sua poltrona em um avião para voar com destino a Paris, depois de ser denunciado pela camareira Nafissatou Diallo por crimes sexuais no hotel onde ele estava hospedado.

Pouco após sua prisão, Strauss-Kahn renunciou à direção do organismo internacional. O caso foi arquivado na terça-feira passada por falta de credibilidade da suposta vítima.

A porta-voz dos advogados defensores do político francês afirmou então à Agência Efe em Nova York que Strauss-Kahn planejava ir a Washington, onde tem residência no bairro de Georgetown, mas não tinha planos "imediatos" de voltar a seu país natal.