Tamanho do texto

SÃO PAULO - A companhia aérea espanhola Spanair, subsidiária do grupo escandinavo SAS, anunciou um plano de reestruturação que poderá levar à demissão de cerca de 1,2 mil pessoas e à redução de 24% em sua capacidade. Segundo a empresa, a medida foi tomada por razões econômicas, técnicas e organizacionais, e são necessárias para assegurar sua existência e a de cerca de 3 mil postos de trabalho.

A Spanair acredita que essas medidas poderão levar a uma melhora de 90 milhões de euros em seus resultados no ano que vem. Segundo ela, essa é sua resposta à crise que afeta toda a indústria aérea, causada pelos altos preços do petróleo, pela queda na demanda por conta da desaceleração econômica e pelo excesso de capacidade na indústria.

A economia prevista pela Spanair deverá ser obtida gradualmente, a partir do período de setembro-outubro deste ano, quando o plano será colocado em ação.

A empresa planeja retirar de sua frota 15 aeronaves entre setembro e novembro. Nove rotas serão canceladas, assim como serão reduzidas as freqüências em vôos com pouca demanda.

Outra medida será o fechamento de cinco bases operacionais da companhia, em Bilbao, Las Palmas, Málaga, Tenerife Norte e Palma de Mallorca. A empresa ficará apenas com as bases de Barcelona e Madri. Segundo a Spanair, isso permitirá simplificar as atividades operacionais, melhorar a eficiência, reduzir custos e assegurar a existência da companhia.

A empresa, que apresentou seu plano de redução de pessoal a sindicatos e representantes de funcionários, ainda terá um período de 30 dias de negociação com esses interlocutores para chegar a um acordo.

(José Sergio Osse | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.