Tamanho do texto

O Estado de São Paulo manteve a liderança na criação de vagas formais de emprego em setembro

selo

O Estado de São Paulo manteve a liderança na criação de vagas formais de emprego em setembro. Pernambuco e Alagoas, porém, foram os Estados que registram maior expansão do mercado de trabalho, ajudando a justificar o crescimento expressivo da Região Nordeste no mês passado.

Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), foram gerados 53.572 postos de trabalho com carteira assinada em São Paulo, o que representa um crescimento de 0,47% em relação ao total de assalariados com carteira no mês anterior. Em termos absolutos, os números paulistas são o melhor desempenho da Região Sudeste. O resultado positivo foi obtido dos setores de serviços (31.216 postos), indústria de transformação (18.457) e do comércio (11.617). Na agropecuária, porém, as demissões superaram as contratações em 9.366 postos.

Já em Pernambuco, foram contratados 39.645 trabalhadores, descontadas as demissões do período, o que representa uma expansão de 3,70% sobre o mês anterior. "Este resultado foi o melhor de toda a série histórica do Caged para o período, em termos absolutos, e o melhor desempenho da Região Nordeste", comentou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi. O comportamento é fruto da expansão do emprego na indústria de transformação (21.853 vagas), agropecuária (5.856), construção civil (4.500), serviços (4.188) e comércio (2.991).

Alagoas também merece destaque ao ter criado, em setembro, 28.256 vagas formais líquidas, o que representa uma expansão de 10,48%. A indústria da transformação (27.188) foi a que mais contribuiu para o desempenho positivo do setor.

O emprego com carteira assinada cresceu em 107.589 postos de trabalho em setembro nas nove regiões metropolitanas destacadas pelo Caged (BA, CE, MG, PA, PE, PR, RJ, RS, SP), o segundo melhor saldo para o período. Os destaques foram São Paulo (35.519 postos) e Recife (16.238 postos).

O interior dos Estados desses aglomerados urbanos registraram um aumento de 65.787 postos. Para Lupi, o comportamento menos favorável em relação às áreas metropolitanas deve-se à existência de fatores sazonais negativos, principalmente ligados à agricultura. Mesmo assim, das nove áreas pesquisadas, houve aumento do emprego em oito delas, com destaque para o interior de Pernambuco (23.407). Apenas Minas Gerais, por conta principalmente do cultivo de café, apresentou um saldo de demissões maior do que o de contratações: 5.522 vagas foram eliminadas.

Regiões

O Nordeste ultrapassou o Sudeste e criou, em setembro, o maior volume de vagas de trabalho com carteira assinada de sua história. No mês foram registrados 105.897 novos postos de trabalho na região. De acordo com o que foi divulgado hoje, o resultado positivo do Nordeste foi influenciado por recorde de contratações em dois Estados e o segundo lugar no volume de geração de emprego em outros três.

No mês passado, a Região Sudeste gerou 86.220 empregos formais. O Sul do País foi responsável por 37.881 postos líquidos. O Norte obteve o segundo melhor saldo para o mês ao criar 11.300 vagas. Já a Região Centro-Oeste registrou 5.568 novas contratações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.