Tamanho do texto

O déficit habitacional brasileiro caiu 3,3% em 2008 na comparação com 2007, para 5,572 milhões de unidades habitacionais, conforme estudo realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) e Fundação Getúlio Vargas (FGV). Desse total, as moradias inadequadas responderam por 3,552 milhões de unidades e as famílias que vivem em coabitação, mas manifestaram o desejo de se mudar, somaram 2,02 milhões.

As moradias por inadequação cresceram 1,6% ante 2007, enquanto a coabitação teve queda de 10,8%.

Em nota, o Sinduscon informou que a metodologia para o cálculo do déficit foi alterada. No caso da coabitação, o déficit passou a ser considerado somente quando uma das famílias que dividem a moradia demonstrou a intenção de se mudar. Isso contribuiu para a redução do déficit habitacional. Outra mudança foi a constatação de que o número de famílias é menor do que o estimado inicialmente, a partir de recontagem do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Do total do déficit em 2008, o Estado de São Paulo participa com 1,139 milhão de unidades habitacionais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.