Tamanho do texto

Madri, 27 out (EFE).- As duas centrais sindicais majoritárias da Espanha, Comissões Operárias (CCOO) e União Geral de Trabalhadores (UGT), convocaram novas manifestações contra a política econômica do Governo para os dias 15 e 18 de dezembro.

Madri, 27 out (EFE).- As duas centrais sindicais majoritárias da Espanha, Comissões Operárias (CCOO) e União Geral de Trabalhadores (UGT), convocaram novas manifestações contra a política econômica do Governo para os dias 15 e 18 de dezembro. Os secretários gerais de ambos os sindicatos, Ignacio Fernández Toxo, da CCOO, e Cándido Méndez, da UGT, disseram hoje que as razões pelas quais foi convocada a greve geral de 29 de setembro ainda persistem, em decorrência da reforma trabalhista aprovada em junho. No dia 15 de dezembro, os sindicatos espanhóis planejam fazer um conjunto de mobilizações "conectadas" com a segunda jornada de ação sindical na Europa, que antecederá a cúpula de chefes de Estado da União Europeia (UE), prevista para o dia 16, enquanto no dia 18 haverá manifestações "maciças" em toda a Espanha. A greve geral de setembro foi a primeira enfrentada pelo Governo do socialista José Luis Rodríguez Zapatero. Com adesão parcial dos trabalhadores, a mobilização não chegou a interromper os transportes e muitos serviços, mas conseguiu suspender a produção em setores da indústria. Os sindicatos consideram que a reforma trabalhista "barateia a demissão" sem contribuir para flexibilizar o mercado de trabalho, acabar com a precariedade nem criar novos empregos em um país que tem 4,6 milhões de desempregados, mais de 20% da população ativa. EFE lgp/mm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.