Tamanho do texto

Governo brasileiro passou da meta de R$ 127,9 bilhões para o superávit primário das contas; para 2012, meta foi ampliada

selo

O governo conseguiu com folga de R$ 810 milhões cumprir a meta de superávit primário das contas do setor público. O Banco Central (BC) informou nesta terça-feira que o setor público registrou um superávit primário de R$ 128,710 bilhões em 2011. O esforço fiscal foi equivalente a 3,11% do Produto Interno Bruto (PIB). A meta prevista para o ano passado era de R$ 127,9 bilhões.

Enquanto as contas do governo central registraram superávit primário de R$ 93,035 bilhões, as contas dos governos regionais (Estados e municípios) registraram uma economia de R$ 32,963 bilhões. Já as empresas estatais apresentaram superávit primário de R$ 2,712 bilhões.

A meta em 2012 foi ampliada em R$ 10 bilhões pela equipe econômica para ajudar na política do BC de combate à inflação, o que o governo vem chamando de novo mix de política fiscal e monetária.

A dívida líquida do setor público encerrou o ano de 2011 equivalente a 36,5% do PIB, porcentual que corresponde a R$ 1,508 trilhão. Em relação a novembro, o indicador apresentou ligeira melhora em dezembro, já que, naquele mês, o número estava em 36,6% do PIB. Em dezembro de 2010, o patamar era de 39,1%.

Segundo o BC, o indicador caiu 2,7 pontos porcentuais no ano, especialmente pelo resultado primário de 2011, que contribuiu com a queda de 3,1 pontos, e a desvalorização cambial de 12,6% verificada no ano passado, que ajudou com a redução de 1,6 ponto. Por outro lado, a queda foi parcialmente diminuída pela apropriação dos números nominais da dívida, que teve como efeito como efeito o aumento do indicador em 5,7%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.