Tamanho do texto

Após mais de um mês de impasse político, o Senado dos Estados Unidos aprovou hoje o pacote de ajuda às pequenas empresas, que inclui US$ 12 bilhões em isenções de impostos

selo

Após mais de um mês de impasse político, o Senado dos Estados Unidos aprovou hoje o pacote de ajuda às pequenas empresas, que inclui US$ 12 bilhões em isenções de impostos. O pacote agora será enviado à Câmara e a votação deve ocorrer na próxima semana, segundo um assessor da liderança da bancada democrata.

O pacote foi aprovado com 61 votos a favor e 38 contra. Todos os senadores do Partido Democrata, do presidente Barack Obama, votaram a favor. Todos os do Partido Republicano votaram contra, exceto George Lemieux (Flórida) e George Voinovich (Ohio), que se alinharam com os democratas.

Os US$ 12 bilhões em isenções de impostos incluem uma baixa contábil de 50% do investimento em compra de equipamentos novos em 2010, que beneficiará também as grandes empresas. No caso das pequenas empresas, os investimentos que elas poderão deduzir dos impostos a serem pagos em 2010 e 2011 será duplicado para US$ 500 mil.

O pacote cria ainda um programa de crédito de US$ 30 bilhões, para que os bancos regionais deem crédito às pequenas empresas. Diferentemente do pacote de ajuda financeira implementado em 2008, no auge da crise, a participação dos bancos nesse programa será voluntária. A taxa de juros a ser cobrada dependerá de quanto crescer o crédito às pequenas empresas concedido por cada banco.

Trabalhadores autônomos poderão deduzir seus gastos com seguros de saúde para si mesmos e seus familiares. Eles também poderão deduzir telefones celulares fornecidos por seus empregadores. Atualmente, esses itens são taxados como benefícios. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.