Tamanho do texto

A São Martinho, uma das maiores produtoras de açúcar e álcool do país, fechou acordo com a norte-americana Amyris Biotechnologies para a criação de uma joint venture para a produção de especialidades químicas a partir da cana-de-açúcar. Segundo comunicado enviado pela São Martinho à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o acerto definitivo ainda depende, entre outros fatores, de aprovação em assembleia de credores e da conclusão processo de due dilligence.

De acordo com o comunicado, a operação englobará a alienação, por R$ 140 milhões, de 40% do capital social da Usina Boa Vista, de Quirinópolis (GO). Desse montante, R$ 40 milhões serão desembolsados no momento da assinatura definitiva do contrato. Outros R$ 50 milhões serão liquidados em ações da Amyris antes de a empresa realizar sua abertura de capital - esse valor corresponde a uma fatia de cerca de 6% da Amyris. Os R$ 50 milhões restantes serão liquidados no momento da oferta pública inicial de ações da Amyris ou em 31 de dezembro de 2012, o que ocorrer antes.

Sob a joint venture, serão investidos R$ 90 milhões na Usina Boa Vista para elevar sua capacidade de processamento de cana de 2,25 milhões para 3,4 milhões de toneladas anuais. Uma planta industrial será construída na Usina Boa Vista para a elaboração de especialidades químicas e consumirá aporte de US$ 50 milhões. O início das operações da unidade está previsto para a safra 2011/12. A mesma tecnologia, que terá como matéria-prima o caldo da cana-de-açúcar, será adotada na Usina Iracema, localizada em Iracemópolis (SP). Na Iracema, o trabalho ocorrerá dois anos depois do começo dos trabalhos na Usina Boa Vista.

O acordo entre São Martinho e Amyris depende também da prestação de garantias equivalentes a 40% do endividamento da Usina Boa Vista. A dívida financeira líquida da unidade é de R$ 420,8 milhões.

Leia mais sobre: cana-de-açúcar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas