Tamanho do texto

São Paulo, 16 jan (EFE).- O banco espanhol Santander demitirá 400 trabalhadores nos centros administrativos de sua filial brasileira e do banco Real, também de sua propriedade, em São Paulo, informou hoje a diretora do sindicato paulista dos Bancários, Rita Berlofa.

Segundo ela, as demissões não têm a ver com a crise financeira, mas com a fusão das instituições.

Segundo ela, "o Santander anunciou 'sinergias de integração que devem somar R$ 2,7 bilhões de reais'", reclamando que a medida causará desemprego.

De acordo com a diretora do sindicato, o presidente mundial do banco, Emilio Botín, disse, em outubro, que a fusão das entidades não geraria uma reestruturação, mas sim um "projeto de crescimento e de expansão, com a ampliação de até 400 novos escritórios".

O Santander, que não quis confirmar ou explicar as demissões, adquiriu, em 2007, o Real como parte do pacote de ativos na operação ABN Amro, passando a ser o quarto banco do país, só atrás do Itaú-Unibanco, do Banco do Brasil e do Bradesco.

Em outubro, Botín anunciou em São Paulo investimentos de R$ 2,55 bilhões no Brasil, com o objetivo de alcançar um lucro de em torno de US$ 9 bilhões em três anos. EFE mp-wgm/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.